A água

Edição: 686 Publicado por: Gustavo Abruzzini em 04/03/2020 as 08:54

 
Leitura sugerida

Começou, desde quinta-feira, a dita transição da gestão da água, em Valença. A coisa se arrastou, por conta da Cedae que, a esta altura do campeonato, fez beicinho e quis dificultar com certa birra infantil. Somente na segunda-feira, parece que a empresa contratada emergencialmente adentrou ao palco, para substituir a comédia da empresa estatal.

 

Tem preço

Agora, atendidos os anseios mais profundos dos valencianos, ou seja, o fim da novela Cedae, caberá a todos apoio as empresas que a sucederem o que passa por hábitos de economia e zelo, bem como pelo fundamental pagamento das contas em dia. Ou alguém ainda acredita que é barato captar, abastecer, tratar e distribuir água potável. Água, assim como eletricidade e gás tem custo em todos os lugares do mundo.

 

Adesão

O governador comédia pressiona todos os prefeitos para que incluam os municípios na famigerada privatização da Cedae. Segundo soube, pressionou o prefeito de Valença quanto a isso, e ouviu que o caso de Valença era de Justiça.

 

As doenças

Este verão de chuvas torrenciais ficará marcado como o da apreensão do contágio de doenças. O internacional coronavírus e o desarquivado sarampo. A confusão, mais mental que concreta, tomou conta dos meios de comunicação e dos gestores de saúde que são abordados a todo momento. E a população vivendo com medo. Sempre.

 

Os buracos

As chuvas não dão trégua e assim não permitem a manutenção de combalidas ruas. Pior em localidades em que rios sobem e invadem casas destruindo o patrimônio de muita gente. O clima bem que tenta nos avisar que as cidades e seus ocupantes precisam de uma profunda mudança de atitudes e hábito. Mas aí vem o sol, o outono, inverno e primavera e todos só vão se lembrar da força da natureza quando ela bate à porta novamente.

 

O DER

Muito estranha a atitude da assessoria do DER. Há algum tempo tenho reportado aqui o estado de abandono das estradas estaduais. Recentemente, recebi um comunicado da assessoria de imprensa do Departamento de Estradas de Rodagem –RJ com informações sobre a RJ-163 que não nos diz respeito. Então, perguntei sobre o convênio com os municípios. A resposta foi superficial sem especificar nada. Insisti questionando quem era o responsável efetivo pela manutenção da RJ-145. A colega não me respondeu mais. Acho que nem minha amiga quer ser.

 

Estradas

E continua alto o risco dos que trafegam pela RJ-145. Não só no trecho de Valença-Barra do Piraí, como também no trecho de Barra do Piraí – Piraí. Na primeira o festejado acostamento foi tomado pela vegetação e por muita sujeira das encostas e barrancos. Há risco de barreiras na reta da localidade conhecida por Santa Catarina e de afundamento perto do Vale dos Sabiás. No segundo trecho, tem um perigoso afundamento na pista e muita lama por onde passei no domingo que permanecia lá na segunda-feira. Ou seja, ninguém atua em manutenção.

 

Como é?

Em entrevista ao radialista Uiara Araújo da Rádio Sul Fluminense, o deputado federal Antônio Furtado (PSL) anunciou que fará esforços para a reforma e a reabertura da clínica de dependentes químicos no charmoso solar da Fazenda Monte Scylene. No entanto, desafinou quando foi dizer o nome do distrito valenciano. Chamou Barão de Juparanã de “Juruanã”. Pelo visto, ainda não conhece a localidade.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...