Depressão, tristeza profunda, ou tristezas normais?

Edição: 316 Publicado por: Miguel Arcanjo em 21/11/2012 as 14:57

 

O problema da depressão é um dos males que mais afetam os nossos tempos. Consultórios psiquiátricos por todo o mundo ficam lotados e uma miscelânea de remédios é empregada a cada ano, para tentar solucionar o problema. A depressão é tão comum em nossos tempos que nos perguntamos se não seria uma coisa específica de nossa sociedade. Não temos dúvidas se ela representa, para as grandes empresas farmacêuticas, um ótimo mercado ao menos. Mas se nossos tempos são tão propícios à depressão, o que estamos fazendo de errado? O que a sociedade e as pessoas tem feito para estar com tanta depressão?

Depressão nada mais é do que uma tristeza profunda e crônica, seguida de forte sentimento de desânimo perante a vida, fazendo parecer com que nada tenha graça e que os problemas e a tristeza não tenham solução. O depressivo se sente arrasado, e muitas vezes não tem força nem para procurar ajuda. Claro que muitos acham ter depressão quando na verdade estão é sofrendo também de grande tristeza e desânimo, mas não tão graves e crônicos como a do verdadeiro depressivo. Claro que esta tristeza precisa ser tratada, pois pode também gerar uma depressão. A melhor opção nestes casos é a psicoterapia (terapia com um psicólogo) uma vez que remédios vão atuar apenas nos sintomas (na própria tristeza) e não nas causas da tristeza (o que gera ela). Remédios, como o próprio nome diz, servem para remediar, são muito úteis e devem ser empregados principalmente nos casos mais graves, mas ir até a origem do problema é algo que muitas vezes só conseguimos alcançar com uma boa conversa psicológica. Aquela tristeza pode gerar um grande aprendizado se olharmos ela com calma e vermos o que está realmente acontecendo conosco. Afinal, o que estamos fazendo com nossa vida para estarmos nesta situação? Algumas pessoas que sofrem de depressão passaram, a vida toda, por problemas familiares e, agora, precisam descansar e estão abatidas; Outras estão desesperadas por diversos motivos e não encontram uma saída; ainda outras, viveram apenas para os outros e não sabem o que é viver para si, ter um momento de lazer ou genuína felicidade; existem pessoas que são literalmente viciadas em problemas, e já não sabem viver sem eles! Algumas carregam tristezas antigas, abandonos, traumas, que somente falando sobre eles com um profissional ético e sigiloso, mesmo que seja algo difícil para se abrir, poderiam se sentir mais desabafadas. Carregamos pesos desnecessários dentro de nós e nossa auto-suficiência (dou conta de tudo sozinho), não permite buscarmos tirar isso de nós e aliviar nossa carga.

Tais coisas podem gerar a depressão, mas de toda tristeza também pode se tirar uma lição e promover o nosso crescimento como pessoa. Vai sempre de como escolhemos lidar com nossa dor. Mas também é preciso estar atento que nem toda dor é motivo de tratamento. Vivemos numa sociedade que parece que se fixa só na felicidade, como se todos fossemos hiper felizes e não pudéssemos ter um pingo de tristeza e silêncio dentro de nós. Se ficamos em silêncio um tempo, alguém já nos fala para sair daquela, como se ficar em silêncio fosse algo ruim... As propagandas e a televisão mostram geralmente tantos sorrisos e artistas gloriosos, parecem que eles também não têm tristeza, ou que, consumindo aquilo tudo, a felicidade viria. Mas não é bem assim, a tristeza é normal e senti-la um pouco é muito natural e mostra até mesmo que você está saudável. Para nós, profissionais, uma pessoa que não tivesse qualquer tristeza seria um psicótico, e ter psicose é ainda mais grave que depressão. Mas não deixe se levar pela tristeza, procure refletir e achar suas saídas. E a depressão real, precisa de tratamento.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...