A paisagem mudou!

Edição: 360 Publicado por: Patrícia Rocha em 26/09/2013 as 14:26

 
Leitura sugerida

Muitas vezes nos hibernamos, pois tudo ao nosso redor parece gélido, seco ou aparentemente sem encantamento. Isso acontece por vários motivos: perdas, decepções, dificuldades ou pelo simples desaquecimento da roda da vida. Daí, precisamos parar e refletir. Só assim algo especial pode acontecer, uma nova brisa pode soprar e anunciar que o gelo vai derreter e a grama verde que havia por baixo dele irá transparecer repleta de vitalidade. No último dia 23 começamos uma nova estação: a primavera e com ela um novo ciclo, A primavera chega com promessa de luz, brilho, aromas renovados, vento a levar pólen para fertilizar os campos, borboletas ligeiras a escolher por entre tantas flores em qual pousarão. Mas para viver a magia da primavera é necessário se reeducar, se exercitar a entrega. Precisamos aceitar que a estação inverno ficou para trás e com ela o rigoroso inverno da alma, o período em que ficamos em nossas “tocas” e que por muitas vezes acreditamos nunca mais sair.

A paisagem mudou! É preciso entrega, é preciso acreditar, é preciso lançar nossos polens aos ventos. Ao aguçar os sentidos, pode-se ouvir lá fora o canto dos pássaros e ver que raios tímidos de sol entram por entre as frestas. A primavera tem que florescer, na forma de atos, palavras e pensamentos positivos. A primavera otimista convida: abra-se, permita-se, aproveite as oportunidades dessa brisa nova para criar um mundo diferente. Não tema as abelhas, elas apenas polinizam a vida! Inspire-se e faça a sua parte, dê sua parcela de contribuição. Comece por mudar o status das negatividades que o rodeiam, estabeleça  valores universais. Pense naqueles projetos guardados, no seu graal do bem-estar, nas suas fortes habilidades contidas e permita que desabrochem. Despeça-se dos maus hábitos e volte sua atenção para os aspectos positivos da vida. Lance um olhar diferente para os mesmos cenários. A primavera o convida a ter coragem para mudar; a desenvolver sua sensibilidade, renovar, reciclar, florir!

Como as flores, vamos desabrochar e exalar perfumes mil, sem nada pedir em troca. Sejamos como o sol que a tudo ilumina, sem nada pedir em troca. E a chuva, que irriga as plantações, limpa a atmosfera, e nada pede em troca. A natureza é generosa, provê as necessidades das espécies, sem nada pedir em troca. Não sabemos com certeza quanto tempo ainda nos resta para se vivenciar a plenitude primaveril. Mas com certeza existe dentro de cada um de nós um jardineiro, pronto para construir o mais belo dos jardins. Vamos lá! A primavera chegou!

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...