Coerência

Edição: 391 Publicado por: Gustavo Abruzzini de Barros em 08/05/2014 as 07:28

 
Leitura sugerida

Saiu no Boletim Oficial, edição 590, de 03 de abril de 2014, extrato do Termo de Permissão de Uso de Imóvel a Título Precário. A mesma Prefeitura que revogou a permissão de uso da Ema-Chinezinho, garantindo que a maneira certa seria a concessão passando pela Câmara, agora cede por permissão uma área de 12 mil metros quadrados, só que na Zona Industrial de Barão de Juparanã. No mínimo incoerente.

 

Coerência II

E depois de tanta argumentação para afugentar a empresa Chinezinho, a pergunta que fica é: quando a Prefeitura fará a licitação para a concessão da área da antiga Ferreira Guimarães? Ou será que agora que a empresa decidiu desistir de Valença e de seus políticos, não haverá mais a tal licitação?

 

Coerência III

A beneficiária dos 12 mil metros quadrados, em Barão de Juparanã, sem licitação e sem contrapartida como queria da Chinezinho o vereador Naldo (PMDB), é uma marcenaria.

 

Convocação

Por conta de uma “Carta Aberta ao Vereador Dodô”, publicada no Jornal Local do dia 27 de março, a servidora pública Cláudia Torres foi convocada a comparecer à sessão da Câmara de Vereadores para tecer esclarecimentos na quarta-feira, dia 7 de maio. Ela não estava obrigada a ir, mas, na terça-feira, fechamento desta edição, estava garantido que ela iria. Trata-se de situação ocorrida em 2009, referente ao Conselho da Cidade quando ela atuava como secretária do mesmo.

 

Jardim

Alguns leitores solicitam atenção do poder público para as noites da Praça Visconde do Rio Preto (Jardim de Cima). Segundo eles, a aprazível praça tem se transformado, em certas ocasiões, em local de consumo de drogas lícitas e ilícitas, na presença de menores.

 

Imprudências

Outra leitora nos alerta para fato que, inclusive, já presenciamos. O sinal da avenida Nilo Peçanha fecha e ciclistas que acham que o sinal é só para carros passam quase atropelando pedestres na travessia, em plena faixa.

 

Virada

Na nova enquete do site do Jornal Local que perguntava em que o leitor votaria se as eleições fossem amanhã, depois de disparar isolada na frente a opção “Não votar em ninguém” terminou em segundo lugar com 36% das preferências. Foi ultrapassada no último fim de semana pela opção ultraconservadora “Votar em alguém indicado pelas famílias tradicionais” que atingiu 42% dos votos. Em terceiro, a terceira via, “Votar em alguém novo, empresário ou trabalhador”, que teve 18%. “Votar na continuidade” fechou com 3%.

 

Gradinha

No Jardim de Baixo, a gradinha que havia nas pontes que levavam ao chafariz sumiram sem deixar pistas. Um leitor me diz saber onde elas se encontram. Resposta ao enigma na próxima edição.

 

Curso

A Associação Comercial de Valença (Aciva) promove curso de atendimento ao cliente. Começa na próxima segunda-feira (12), no auditório da Aciva, das 19:30 às 22:30 horas. O curso tem custo. Mais informações 2453-4727.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...