A população de Valença: suas particularidades

Edição: 405 Publicado por: Sonia Vilela em 14/08/2014 as 08:58

 
Leitura sugerida

As características da população de Valença divulgada pela PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) trazem algumas características, deveras, interessantes. Com relação ao IDHM – Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, Valença ocupa a 823ª posição, em relação aos 5.565 municípios do Brasil, sendo que 822 (14,77%) municípios estão em situação melhor e 4.743 (85,23%) municípios estão em situação igual ou pior. Em relação aos 92 outros municípios de Rio de Janeiro, Valença ocupa a 15ª posição, sendo que 14 (15,22%) municípios estão em situação melhor e 78 (84,78%) municípios estão em situação pior.

Entre 2000 e 2010, a população de Valença teve uma taxa média de crescimento anual de 0,80%. Na década anterior, de 1991 a 2000, a taxa média de crescimento anual foi de 0,97%. No Estado, estas taxas foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,01% entre 1991 e 2000. No país, foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e 2000. Nas últimas duas décadas, a taxa de urbanização cresceu 4,73%. Outro dado igualmente importante é a taxa de fecundidade da mulher valenciana, em 2010 era de 1,5 filhos por mulher em 2000 era de 2,1. No Brasil, a média é de 1,8 filhos por mulher. No que diz respeito à taxa de urbanização, houve um aumento de 4,73%. Isso significou uma redução da população rural em cerca 1000 pessoas de 1991 para 2010. Hoje, 86,61% da população vive na área urbana.

Entre 2000 e 2010, a razão de dependência da população de Valença passou de 51,96% para 46,63% (razão de dependência significa o percentual da população com menos de 15 anos somada a população de 65 anos e mais (população dependente) em relação à população de 15 a 64 anos (população potencialmente ativa).

A taxa de envelhecimento evoluiu de 8,47% para 10,55% ela é obtida através da razão entre a população de 65 anos ou mais com relação à população total. Esse envelhecimento da população permite traçar políticas voltadas para a qualidade de vida e colocar mais vida aos anos, diferentemente de colocar mais anos à vida.

A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Em Valença, a esperança de vida ao nascer aumentou 9,6 anos nas últimas duas décadas, passando de 66,3 anos em 1991 para 69,5 anos em 2000, e para 75,9 anos em 2010. Em 2010, a esperança de vida ao nascer média para o estado foi de 75,1 anos e, para o país, de 73,9 anos.

Outra tendência a ser observada é o crescente percentual de mulheres com relação à população total. Em 1991 eram 51,36%, em 2000 eram de 51,76% e, em 2010 de 52,05%. Conforme se pode observar, essa relação aumenta a partir dos 15 anos, até então, não se observa esse desequilíbrio na proporção entre os gêneros, o que sugere afirmar que um número maior de jovens do sexo masculino tem emigrado para outras cidades, provavelmente, para estudar ou trabalhar. E é fato também que as mulheres têm expectativa de vida superior aos homens em 7,8 anos. Em Valença, existem três mil mulheres a mais que o número de homens.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...