Baixada a poeira

Edição: 314 Publicado por: Jornal Local em 09/11/2012 as 15:23

 
Leitura sugerida

Baixada a poeira eleitoral, embora em alguns lugares ainda se aguarde desdobramentos jurídicos, a fase agora é de livre especulação quanto aos novos secretários. Neste momento, aparecem os profetas, os adivinhos e os incensados. Arvoram-se os atravessadores de informações desencontradas que tentam emplacar seus achismos e análises que muitas vezes revestem-se de simples torcida ou tentativa de influir e tumultuar o tabuleiro do jogo.

Pouca gente percebe, mas muito do especulado é proposital iniciativa de, por vezes, colocar-se à disposição, bem como intrigar fortes postulantes. Trata-se das táticas estabelecidas para o momento de exercer aos olhos do eleito, política pessoal visando o resultado do desejado convite.

Enquanto membro participante das campanhas, militante candidato à vereança e apoiador da primeira ou da última hora, vários personagens nutrem o desejo, por vezes, incontido, e, por vezes, comedido, de ser visto como o melhor quadro para determinada posição.

Ao eleito, por mais independente que possa parecer, as pressões se fazem logo presentes. Partidos coligados, lobby dos colaboradores, sugestões familiares e de amigos e até gente que se oferece explicitamente, formam uma gama da pressão de diferentes gradações que passam a influir em suas decisões. Até porque, depois de agradar tanto a todo um grupo, agora, se vê obrigado agradar muito a uns, nem tanto a alguns e nada a muitos que vivenciam a expectativa de ser aproveitado desde o primeiro momento.

Ao escolhido, diante desse momento decisivo de escolhas, há de se desejar a boa e intensa reflexão. Como líder maior de um município tentado de se fazer projetar mais e mais, este não pode perder de vista a eficiência e a competência de seus colaboradores diretos, considerando, sobretudo, o sentido público das funções e menos seu caráter político.

A população, neste momento, aguarda ansiosa a confirmação de nomes da confiança do prefeito, que suplantem as desconfianças de que um governo é novo até que se dê início à sua gestão. E daí para frente, apesar de novos nomes, as maneiras e os jeitos sejam os mesmos ou muito parecidos com o que sempre se apresentou por aqui. Desejamos que os prefeitos saibam ou tenham a coragem de se cercar de quadros verdadeiramente competentes, com energia para nos oferecer bons serviços. Desejamos que os prefeitos sejam ousados se necessário, para romper com estruturas arcaicas de manutenção de nossas máquinas públicas, sempre emperradas, visando o beneplácito favorecimento dos seus, o compadrio do favor e a vantagem dos parceiros políticos. Desejamos que os prefeitos sejam corajosos e inscrevam seus nomes na história ao, finalmente, oferecerem às suas populações uma gestão equilibrada, evoluída e para o bem de todos.

Enfim, torceremos para que os prefeitos de todo Brasil sejam sábios em perceber que o tempo de se perder tempo passou. A hora é de trabalhar com olhar no futuro e a responsabilidade sobre as gerações que advirão.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...