Juízo Final sobre as Eleições de 14

Edição: 420 Publicado por: Samir Resende em 27/11/2014 as 07:27

 
Leitura sugerida

Passado o “recado” das urnas fico com algumas impressões que quero dividir com esta gente bronzeada que quer mostrar o seu valor na cidade de Valença:

1. O sistema político brasileiro é um sistema mecânico que tem problemas nos filtros que deveriam reter a influência do dinheiro na hora da escolha. O sucesso na urna veio principalmente pra quem gastou mais com cabo eleitoral, campanha e tempo de mídia.

2. A votação massiva dos políticos profissionais mostrou isso e o Congresso Nacional e as Assembleias Legislativas serão compostas majoritariamente por empresários, ex-sindicalistas, fazendeiros, lobistas, líderes religiosos, militares e celebridades da mídia.

3. O escopo da Política é preocupante, pois os momentos de reflexão humana estão, cada dia mais, virando um espetáculo. A coisa está embaçada, mas “O sol... há de brilhar mais uma vez A luz... há de chegar aos corações” já diria o Nelson Cavaquinho naquele samba antigo.

Trânsito de Automóveis

O problema da ~gestão~ de trânsito em Valença é que ela pensa primeiro no automóvel que circula, e depois no ser humano.

Quer fazer uma revolução no trânsito de Valença? Tenha como prioridade a pessoa e não o automóvel! Por exemplo: 1) cobrar da empresa de ônibus a aquisição de veículos menores e com mais horários; 2) licitar o transporte público, com possibilidade para vans, moto táxi, etc.; 3) regulamentar as vagas no centro e vias coletoras dos bairros, de acordo com um Plano Diretor; 4) implantar o rotativo pago, com faturamento para um fundo municipal que pague o capeamento das vias, das calçadas, a educação no trânsito; 5) construir vagas (ponto de ônibus) para o transporte coletivo que para no meio da rua para colher passageiros; 6) valorizar o transporte alternativo (bicicleta, ciclovias, carona solidária); 7) provisionar nas leis orçamentárias a meta de uma usina de asfalto para o município, ou melhor, uma fábrica de bloquetes para calçamento que é mais ecológico, pois deixa a água infiltrar no solo; 8) rever os pontos de táxi, etc...

Vergonha alheia, pois alguns têm mania - por vaidade – de querer reinventar a roda (no pescoço) para aparecer.

 

Não durma no ponto!

Dia 2 de dezembro, terça-feira, no Clube dos Democráticos, tem Audiência Pública, convocada pela Casa do Povo (poder legislativo) para debater o Instituto Municipal de Previdência dos Servidores Públicos de Valença (Previ-Valença). O povo tem que se organizar e cobrar para que mais ações como essa aconteçam, e que ele seja sempre convidado a opinar. Ainda tenho esperanças na utopia democrática, não necessariamente “bolivariana” ou “comunista”, como vi uma parcela histérica e meio senil da população do país acusar, quando foi derrubada a Política Nacional de Participação Social do Governo Federal.

1 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Serip Salorac Siul em 28/11/2014 às 15:51 disse:

do Repórter da Skina: Joaquim Levy, eu entendo, é competência comprovada...mas Katia Abreu? Por quê não um doutor, a AGRICULTURA merece um doutor, presidenta, por quê não o doutor JOÃO PEDRO STÉDILE???COMBATIVAS SAUDAÇÕES ,COMBATIVO sAMIR!!!
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...