Vinhos no verão

Edição: 432 Publicado por: Sérgio Tabet em 26/02/2015 as 09:00

 
Leitura sugerida

Nada mais desagradável que uma garrafa de vinho tinto, bem alcoólico servido quente num calor de verão. Para o eventual consumidor de vinhos, o verão pode parecer uma estação imprópria para o seu consumo. No inverno, junto com comidas mais intensas os vinhos tintos e encorpados são mais presentes – mas se os vinhos tintos dominam a estação mais fria do ano, o verão é a hora de brancos, rosés e espumantes, mais leves e refrescantes. Atente-se, portanto, para estes vinhos, brilhantes como o sol, a maioria das vezes elaborados a partir das uvas brancas e às vezes com uvas tintas desde que estas não passem por maceração com as cascas, a não ser os rosés que têm uma maceração leve com as cascas das tintas. Dê preferência pelos vinhos vívidos, que tenham sabores de frutas cítricas, que demonstram boa acidez e frescor. Castas como a Chardonnay, Riesling, Sauvignon Blanc, Viognier e Riesling lideram a lista de mais indicadas , pois podem ser mais secos e leves, menos complexos, harmonizando bem com pratos característicos do verão. A casta argentina Torrontés com frutos do mar é perfeita. Temos nesse cenário, os vinhos rosés que são produzidos com uvas tintas, para aqueles que  gostam de um vinho que lembre o sabor de um tinto, com leves taninos e cuja cor remete  ao pôr do sol. Os vinhos rosés, são produzidos em vários países, e no Brasil há muitos bons vinhos rosés, como os produzidos a partir da uva Malbec. Vinhos tintos leves também são ótimos no verão. Os espumantes são uma ótima pedida tanto na piscina, como na praia ou em casa. Para os que não abrem mão dos vinhos tintos, no verão, os franceses Beaujolais, que feitos com a uva Gamay, os italianos Valpolicella simples, feitos com as uvas Molinara, Rondinella ou Corvina entre outras, o Bardolino, com baixo teor de álcool, são uma boa referência. Estes vinhos devem ser de safra recente e podem ser servidos refrescados, pois têm pouco corpo. Há quem aposte nos vinhos espanhóis da uva tempranillo. Sem envelhecimento em barricas. Saem de cena os tintos potentes, alcóolicos e entram os tintos menos alcoólicos, jovens e frutados. São vinhos para degustar sem compromisso. Talvez não sejam os vinhos da sua vida, mas com certeza são os vinhos tintos certos para o seu verão. Para os mais exigentes sugerimos os vinhos da uva Pinot Noir, que são normalmente mais leves e frescos e pouco tânicos que a maioria das uvas tintas. Exigem, porém, mais sensibilidade e até mesmo mais experiência, mas vale a pena conhecer. Com as sobremesas sirva-se de vinhos tipo Late Harvest (Colheita Tardia) gelados ou espumantes tipo Asti, que são elaborados com a uva Moscatel.

“Beba vinho para o espírito e para a digestão. Beba vinho na festa. Beba vinho na solidão. Beba vinho por cultura ou por educação. Beba vinho porque... Bem, você encontrará uma razão.” (Luiz F .Veríssimo)

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...