Parque

Edição: 327 Publicado por: Jornal Local em 06/02/2013 as 14:32

 
Leitura sugerida

Após dez anos sendo administrado pela Associação de Defesa do Meio Ambiente do Médio Paraíba (AMA-Médio Paraíba), o Parque Natural Municipal do Açude da Concórdia volta às mãos e à responsabilidade da combalida Prefeitura Municipal de Valença. Diga-se de passagem que a parceria que se estendeu desde a criação do Parque e que mantinha o lugar em ordem e com guardas-parque devidamente remunerados, termina com a Prefeitura devendo diversos repasses à instituição.

Parque II

Agora, a Prefeitura reassume o local, que lhe pertence, sem, contudo, apresentar nenhum projeto para o atrativo ambiental e turístico que daqui para a frente estará fechado. E para variar, acrescenta mais uma história de inadimplência na sua já larga tradição de lidar com conveniados e contratados. Uma pena!

Parque III

Aos dirigentes e colaboradores voluntários da AMA-Médio Paraíba podem pender as mais diversas críticas, mas ninguém poderá dizer que, nestes dez anos, a dedicação para que o Parque se mantivesse como um dos lugares mais dignos de se visitar, em Valença, fosse algo que, muitas vezes, transcendesse as possibilidades e condições impostas pelo Poder Público, verdadeiro responsável pelo local e por seu acesso.

Payday

Um leitor oxigena nossa memória e testemunha que, além de Vicente Guedes, seu antecessor, Antonio Fábio Vieira, quando assumiu a Prefeitura com a morte de Fernando Graça, em dezembro de 2005, tinha, também, pela frente, em aberto, os meses de dezembro, 13º e janeiro, que teriam sido saldados no mesmo mês. Fica o registro para nossa história, justiça seja sempre feita. E para quem não sabe, payday é uma palavra que em inglês: significa “dia do pagamento”.

Payday II

Justiça também seja feita que a situação vivenciada agora, provavelmente, é a mais difícil por conta da redução dos repasses, em oposição aos aumentos salariais concedidos em 2012 e as dívidas e problemas herdados pela atual gestão.

Payday III

Agora, injustiça pode estar ocorrendo com alguns servidores que, por total falta de recursos, deixaram de comparecer ao trabalho, em dezembro. Agora, segundo eles, apesar do pagamento do mês de dezembro estar suspenso, estão sendo descontados pelas faltas no pagamento de janeiro. É... mas, como assim?

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...