MPEDUC na luta para reverter o quadro de Muita Pouca Educação

Edição: 459 Publicado por: Samir Resende em 03/09/2015 as 09:23

 
Leitura sugerida

Foi uma tarde quente e concorrida a audiência pública pela educação que os Ministérios Públicos Estadual e Federal promoveram na segunda-feira, dia 24, na Faculdade de Medicina de Valença/RJ. Além de “reprovarem” a gestão do atual Prefeito, o espaço foi muito importante para denunciar o curral eleitoral de trabalhadores precarizados que a terceirização trouxe às escolas estaduais.

Pelo que eu entendi, os Ministérios Públicos têm o objetivo de estreitar laços com as comunidades e orientar a ação social cidadã organizada. Uma série de importantes recomendações e ajustes de conduta serão feitos, que poderão gerar inquéritos e ações, mas, a proposta não é de mudança estrutural, e sim incremental, ou seja, ajustes e melhorias na medida do possível. Uma visão contingencial no mar de tragédias que se tornou a vida nas cidades (vide a água da Cedae, que está fritando a pele do valenciano neste exato momento, entre outras tragédias que os MP´s não podem resolver de imediato).

No fundo, só a mobilização crítica da sociedade pra mudar as coisas objetivamente, tendo cuidado de não cair nas aventuras demagógicas das lideranças tradicionais.

É um processo cognitivo (aprendizado) que a sociedade precisa passar com louvor.

7 a 1 foi só o começo!

Hoje o esporte número um do “cidadão de bem” * brasileiro(a) é acusar e sectarizar pelo apartheid: grevista, comunista, petralha, vagabundo, defensor de bandidos, vamos linchar etc.

Sinceramente não sei pra onde caminha a civilização humana, espero que desta ferida partida saia coisa nova e melhor, embora eu esteja bastante pessimista...

Acho que a população indignada deveria procurar a Justiça, pois é dever do estado, da sociedade e das famílias a educação pública. Aliás, se tem um poder que precisa ser democratizado neste país é o Poder Judiciário. É dever da Justiça averiguar porque não tem professor, funcionário e merenda nas escolas, entre outras coisas.

Enquanto a sociedade enxergar o educador como um “sacerdote” vocacionado - e não como um trabalhador que precisa comer, se vestir e se divertir, as coisas vão continuar assim... Infelizmente.

Pelo menos na Educação de Valença todas as melhorias materiais recentes (plano de carreira, estatuto, bolsa de estudo, obras, descongelamento dos triênios...) vieram depois de mobilização, greve, paralisação e passeata... Não podemos falsear a história.

Assim como todo mundo fez concurso sabendo do salário, todo mundo sabe que a Constituição garante o pagamento dos dias trabalhados e a recomposição anual das perdas inflacionárias (data-base)... é simples assim: a sociedade tem que se unir e defender a educação pública para ontem!

Enquanto ficamos inertes, apenas assistindo a briga de trabalhador contra trabalhador, quem sorri é o Bigode, o Pé Grande e “a Comunista”.

* “Cidadão de bem” = homem/mulher moderno, machista, homofóbico, misógino, poligâmico, defensor da tradição que os jornais e líderes conservadores prescrevem.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...