A Limpeza do Sítio

Edição: 464 Publicado por: Elvio Divani em 08/10/2015 as 07:28

 
Leitura sugerida

Já estava entardecendo quando resolvi ir até o sitio do Seu Ditão pra pedir emprestada uma cunha pra rachar uma tora de um desmanche duma ponte antiga. Fui chegando e vi uma cena diferente das que havia visto uns 20 dias atrás. Já não havia pneus velhos empilhados num canto, latas de leite furadas, pedaços de arame farpado enferrujados, garrafas, vasilhames de vidro e plástico, restos de lonas, réguas e mourões quebrados. Estava tudo limpo e o que havia restado estava organizado no rancho onde ficava o heróico Fusquinha, que não estava mais lá e no lugar uma moto, uma Fanzinha usadinha, mas em ótimo estado. As tronqueiras tinham arame novo e liso, novas valetas para escoar a água da chuva e flores plantadas na frente da antiga casa. E aí Seu Ditão, o que aconteceu porracá?

- Seu Elves, que surpresa, vamos chegar! Ah, meu sobrinho deu a ideia da gente vender aquela bagulhada toda que eu nem imaginava servir para alguma coisa e muito menos valer um cascalho, disse rindo. Até o arado de boi e as rodas de carroça renderam uma boa nota e foram prum bacana enfeitar sua casa. Chamei o Cesinha lá do Lopes e o Eunício de Conservatória e eles vieram, pesaram, contaram e arremataram tudo e deu quase pra pagar a moto que o Lequinho vendeu pro Tadeu, O Fusquinha troquei por quatro garrotas raçadinhas que tenho certeza serão boas de leite. Só não consegui vender os pneus, mas estamos usando como muretas numa erosão que insistia em aumentar, tudo ideia dessa moçada que veio pra cá.

- Ó Seu Ditão, que mudança. Que bom que o Sr. desapegou !

- Poizé Seu Elves, nunca imaginei que podia render tanto. Às vezes a gente tem um montão de dinheiro jogado e nem percebe. Agora o Tadeu deu a idéia de vender banana, limão bravo e chuchu. Já colocou uma cesta na motinho e toda vez que vai pra cidade vende tudo e paga umas comprinhas.

- É Seu Ditão, às vezes a gente desperdiça muitas coisas que poderiam ser aproveitadas. Mas falando nisso, como está a adaptação da moçada?

- Bem, o Tadeu tá ativo, mas a moça... Pelo menos tá limpando e organizando a casa, andou remendando umas roupas minhas e até jogou fora uma bota furada e uma camisa que eu gostava muito, disse rindo. Também tá separando o lixo e até agora não entendi por quê. Papel, lata, plástico separado e os restos de comida pros cachorros e galinhas.

- É, daqui a pouco o senhor vai ver que vai render uma notinha, além de proteger o meio ambiente. Bem, vou levar a cunha e devolvo nuns quinze dias, ok?

- Ô seu Elves, pode ficar com ela o tempo que quiser.

 

Fui embora pensativo e começando a mudar o que tinha pensado quando vi aquele casal pela primeira vez, vamos esperar um pouco pra ver no que dá.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...