PRATOS MARAVILHOSOS E SEUS NOMES ESTRANHOS “ I “

Edição: 465 Publicado por: Sérgio Tabet em 15/10/2015 as 09:19

 
Leitura sugerida

O Arroz à Piemontesa não é do Piemonte (Itália) nem o Bife à Milanesa é criação de Milão (Itália). O Arroz de Braga não é uma receita de Braga (Portugal) e o Bife à Parmegiana não foi criado em Parma (Itália). O pão francês é do Brasil. E por aí vai. A lista é imensa, mas vamos aos poucos.

No Brasil, o Pão Francês surgiu no início do século XX, quando os burgueses adotaram a cultura francesa como referência, não apenas na moda, nas artes mas também na gastronomia Naquela época as padarias faziam um pão escuro e foram levadas a imitar uns pãezinhos alongados com um miolo muito branco e uma crosta bem dourada. Aparentemente a receita não reproduzia o pão que se consumia em França nessa altura, mas ficou conhecido como “pão francês”. Quem entrar numa padaria na França e pedir “un pain français, s’il vous plaît” (“um pão francês, por favor”) vai encontrar dificuldades, e deve sair apenas com um pedaço de baguete. O nosso pãozinho francês, não existe na França.

A forma de envolver carnes, peixes e legumes de uma maneira geral, em ovo e farinha de pão, para que depois de fritos ganhem uma crosta crocante vem de Bizâncio, atual Constantinopla. Os primeiros imigrantes italianos no Brasil, trouxeram a “Cotolleta alla Milanesa “ e trocaram a costela de vitela pelo bife de filé, e o nome para “Bife à Milanesa” . É um prato que ninguém conhece em Milão. Nem o prato nem o nome, que por lá a técnica se diz “impanato”.

O Arroz de Braga  teoricamente é português, mas na realidade foi inventado no Brasil, por um cozinheiro português que queria homenagear a sua terra natal e deu o nome de Arroz de Braga. Em Braga (Portugal), ninguém conhece e os garçons se divertem com os brasileiros que pedem o prato. No Almanaque de Santos (São Paulo) consta que o prato é do inicio do século XX ou final do anterior. Foi improvisado por um tal de Braga, dono de restaurante em Santos, para uma grupo de pessoas que entrou muito tarde no seu restaurante. Surgiu assim uma delícia da cozinha brasileira, à base de arroz, frango, toucinho, paio, linguiça tomate, repolho, ervilha, alho, salsinha e cebolinha. “Há arroz em Braga, mas não Arroz de Braga”. Em Valença o Zé do Portal é um campeão.

 

“Se livros fossem comida não sairiam do meu cardápio” ( Gedália Santos)

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...