Colômbia das esmeraldas, das flores, das frutas, da música...

Edição: 547 Publicado por: Katia Tabet de Barros em 25/05/2017 as 09:39

 
Leitura sugerida

Apesar da ansiedade para visitar o país de um autor do calibre do colombiano Gabriel García Márquez, começo o texto com esta frase, que traduz o espírito do colombiano: alegre, guerreiro, orgulhoso de seu país, mas frustrado com seus políticos. Qualquer semelhança... Desembarcando em Bogotá, tive a melhor experiência que um turista pode desfrutar. Nunca dispenso o que a maioria dos turistas não faz questão: um city tour com um bom guia de turismo. Nada pode ser mais enriquecedor do que andar por uma cidade que você nunca visitou, na companhia de um guia local, experiente e culto (o google que me desculpe!). María del Pilar foi minha grande inspiração, nestes dois dias na capital colombiana. Visitamos o Museu do Ouro, com uma espetacular apresentação sobre este símbolo nacional, muito mais valioso como história do que como um bem material. Pilar contou-me sobre seu país e seu povo (mesclando a cultura de índios, negros, europeus...) e em cada peça deste museu, uma história diferente e encantadora. Depois visitamos o Museu Botero, O mais famoso artista da Colômbia, é adorado por todos, tendo em vista, além de seu legado, seu amor ao país e ao seu povo, assim como a cantora Shakira. Fomos para a imponente Plaza Bolivar, apreciar seus prédios de estilos arquitetônicos diversos. Fundada em 1500, a principal praça do centro de Bogotá, leva o nome de Simon Bolivar, líder militar venezuelano, que desempenhou papel fundamental na libertação da América Latina do domínio espanhol. Aliás, caminhar pelo centro de Bogotá, é como caminhar pelo centro de Lima, a capital peruana. As influências espanhola e árabe, deixaram traços muito fortes e uma arquitetura admirável nas duas capitais, que muito se assemelham. No dia seguinte, realizei meu grande desejo: visitar a Catedral de Sal, em Zipaquirá. Uma aconchegante cidade de 120mil habitantes, que vivem em função da mina de sal dos Andes. O projeto maior que atrai turistas do mundo todo é sua Catedral, feita dentro de uma mina de sal, É considerada a Primeira Maravilha Turística Religiosa da Colômbia e recebe um milhão de turistas por ano. Dentro dela, a representação da Via Crucis, em um emocionante percurso, todo trabalhado em sal.

E assim terminei minha visita a Bogotá, para seguir para uma região totalmente diferente de tudo que vivi na capital, mas dentro de um mesmo país, com sua enorme diversidade: Cartagena das Índias, no Mar do Caribe. O principal porto caribenho da América do Sul, que desde sua fundação em 1533, foi atacado por piratas, corsários e exércitos em geral, que saqueavam a cidade, teve um muro construído ao redor de seu centro histórico, com a finalidade de preservar suas belezas e assegurar a longevidade deste patrimônio histórico/cultural. A Cidade Amuralhada é rodeada por bairros tradicionais como a ilha de Manga, os bairros de Castillogrande, o setor das praias de Bocagrande e muitos outros, onde vive a maioria da população. E, como se não bastasse tanta história, arte e cultura, visitando a Torre do Relógio, o Castelo de San Felipe, a Cidade Amuralhada e seus museus, bares e restaurantes, ainda tive o prazer de um mergulho nas águas cristalinas de Isla del Rosario; passeio imperdível, dentre tantos outros.

Deixar o país que encanta as mulheres pelas esmeraldas, as flores, as frutas e atrai turistas do mundo todo por isso e por suas belezas, história, seu povo, seus artistas, sua música, seu ritmo, sabores e cores... foi difícil, mas renovou minhas energias e inundou minha alma de alegria. Eu volto!

“Tudo é questão de despertar sua alma”

Gabriel García Márques

 

(Katia Tabet é Agente de Viagens e Membro da Academia Valenciana de Letras. E viajou a convite da Operadora New Tour Viagens)

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...