O desastre anunciado chegou!

Edição: 566 Publicado por: Marcelo A. Reis em 04/10/2017 as 08:08

 
Leitura sugerida

Caro leitor;

Torno-me repetitivo. Um chato! 

O desastre anunciado chegou!!

Já disse, diversas vezes, que gostaria de estar errado; enganado nas minhas assertivas, mas... a idade, a vivência fazem com que não acredite em conversas fiadas, em enganações armadas com a ajuda técnica de marqueteiros regiamente pagos com dinheiro público (roubado!). Ainda recentemente, aqui mesmo, pedi a intervenção federal no Rio de Janeiro, sinalizando que ali era/é a ponta do iceberg, pois o país como um todo “tá dominado”; pedi a nomeação de um interventor federal (militar) para em “um governo de ocupação em área de conflito procedesse como o fizeram os governos militares de ocupação na Alemanha e no Japão ao fim da II Guerra. “Afirmamos, e reafirmamos agora, que ao proteger o titular do (des) governo do professor Temer, o próprio, impedindo que fosse o investigado, a Câmara Federal estava/está oficializando a chegada, ao topo do Poder, do crime organizado. 

Alguns amigos bateram-me fortemente por ter defendido os argumentos do general Mourão sobre o colapso do Brasil.

Respeito o direito de todos que discordem dos meus opinamentos e luto pelo direito de discordarem, mas reafirmo que o chefe militar, a quem não conheço, nada fez ou disse de errado. Falou porque na hora do colapso, chamam o E.B. para fazer o milagre da “Pacificação Nacional”. O empombado “(des) ministrim” da Defesa, com caras e bocas, anuncia operações enxuga gelo, que só expõem os militares e nada resolvem. Não dá para acreditar que o poder do tráfico está na Rocinha, no Juramento ou no Alemão. Tal Poder está globalmente distribuído. Está com grandes, enormes, recursos financeiros e estrutura logística por toda a parte. A população das comunidades, favelas ou bairros, são vítimas, reféns da ponta visível do tráfico.

É importante a ocupação de espaços, mas sem seguir o rastro do dinheiro, sem buscar os barões, duques, arquiduques do pó a guerra, nos condomínios de luxo, nos apartamentaços da orla do Rio e no exterior, novamente, está perdida.

Operações de efeitos especiais com carros de combate e soldados com óculos de visão noturna servem para imagens de TV... Apenas...

A guerra de quadrilhas na Rocinha, ainda que de alta letalidade NÃO é nada se comparada com a Guerra de Quadrilhas que se desenrola nos altos escalões do Executivo, no Legislativo e nos Tribunais superiores!

Acorda Brasil!

Até a próxima. 

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...