Paulada

Edição: 589 Publicado por: Gustavo Abruzzini em 21/03/2018 as 08:00

 
Leitura sugerida

Foi grave. O cerceamento à liberdade de imprensa, ocorrido na semana que passou, em plena reunião do Conselho Municipal de Segurança Pública, foi, na verdade, mais um triste capítulo na inabilidade de nossos cidadãos investidos de autoridade. Presentes à reunião, que é pública e em espaço público, dois colaboradores do jornal foram informados de que não poderiam fazer imagens e, o que é pior, nem cobertura. Apoderaram-se do conselho?

 

Paulada II

O acontecido demonstra, uma vez mais, que continua grave a crise que sempre apontamos aqui, de cidadãos investidos na tarefa de atuar institucionalmente. Os conselhos municipais foram instituídos para discutir com a sociedade organizada e população em geral, políticas públicas. Erram quando levam para reuniões abertas discussões que julgam secretas ou que devam preservar caras e nomes.

 

Paulada III

Mas o que mais nos surpreendeu no ocorrido foi a omissão de todos os presentes ao ato discricionário, levando-se em consideração a presença de vereadores. Membros da casa das Leis que criam e regulamentam os conselhos comunitários e que deveriam defender a transparência e não as trevas.

 

Madeira!

Causou incômodo a derrubada de árvores do jardim frontal do antigo Hospital Geral José Fonseca, que vai ganhando contornos definitivos de Maternidade Escola. Ao que parece a motosserra atuou para que no local seja feita uma subestação de tratamento de esgoto.

 

Em risco

É preocupante, diante do estado de penúria do Rio de Janeiro, a situação de avaria, por causa das fortes chuvas, do prédio histórico na praça Visconde do Rio Preto, ocupado pelo Colégio Estadual Theodorico Fonseca. O antigo solar do visconde que dá nome à praça, além de ser seguramente um dos mais belos e imponentes da Valença do século XIX, é disparado o de maior valor histórico. Isto porque pertenceu a três grandes beneméritos da cidade (o visconde, o comendador Antonio Jannuzzi e o comendador José Fonseca) que sempre o cediam para recepções e banquetes a personagens de renome do país. Assim, por seus salões, em várias épocas, transitaram o conde de Bonfim, Cristiano Ottoni, Nilo Peçanha, Paulo de Frontin, Amaral Peixoto e Alzira Vargas.

 

Em risco II

Lá também residiu o advogado Lúcio de Mendonça que radicou-se em Valença, pouco antes da República, e foi o anfitrião da fundação do Partido Republicano de Valença, em 1887. Bem como, o salão nobre do Lar dos Meninos, foi palco de brilhantes noites culturais da Academia Valenciana de Letras.

 

Mudança das cadeiras.

A vereadora Fabiani Vasconcellos está ingressando na Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, em substituição ao vereador David Nogueira que precisou se afastar do encargo de primeiro-secretário.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...