Pílulas esparsas

Edição: 592 Publicado por: Redação em 11/04/2018 as 08:00

 
Leitura sugerida

República aviltada

A República, quando nasceu no Brasil, já nasceu contaminada de corrupção política e econômica. Isso explica a condição de político como sinônimo de regalias e dinheiro fácil. Indiferentes à privação, à miséria e à marginalização que sempre tiveram nome e endereço certo dentro do país, não são poucos os que transitam indiferentes aos estragos que seus ócios de nababos costumam provocar ao país e à população.

O sistema político do Brasil nunca deixou de ser oligárquico e clientelista. Sua base de sustentação continua sendo os coronéis do interior, fortalecidos, sobretudo, por uma extensa rede de cabos eleitorais que jamais serão tratados como iguais.  

Se exceção há, essa diz respeito apenas à politicagem e aos pequenos grupos beneficiados que temperam e dão sabor a uma realidade que “é mais fantástica do que tudo o que nossa inteligência possa fantasiar”. Esse quadro já existia antes da República nascer no Brasil. O que se fez foi aprimorar. Dar novas vestimentas.

No país retratado em “Os Bruzundangas”, livro no qual Lima Barreto, parafraseando Dostoievski, diz exatamente o que está entre aspas, (p. 73), o que se tem é uma sociedade bizarra onde os valores e as referências operam às avessas, tal qual no Brasil de hoje.

Penso, num surto de delírio, que o estudo de literatura aliado ao ensino de História, é um caminho sólido capaz de despir o véu do senso comum que nos cobre sem dó, sem piedade.

   

e-book

Até amanhã, 13/4, a editora Boitempo estará disponibilizando para download gratuito o e-book completo do livro “A verdade vencerá: o povo sabe por que me condenam”, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lançado há menos de um mês, o livro vem despontando na lista dos mais vendidos no país. Para maiores detalhes acesse https://blogdaboitepo.com.br.

 

Darcy Ribeiro (1922-1997)

“O maior e único problema do Brasil são suas elites: apátridas, parasitárias, vivem de vender o patrimônio nacional e manter o povo escravizado, ignorante e feito gado. “

 

Professora Julieta Calazans

É com pesar que comunico seu falecimento no dia 6 de abril, em Natal, Rio Grande do Norte, seu estado de origem.  

Julieta orientou dezenas de estudantes de pós-graduação e teve seus trabalhos citados em inúmeras dissertações, teses, artigos e livros.

Em sua passagem por Valença, ainda na década de 1990, lecionou em diferentes cursos de pós-graduação (especialização) realizados no CESVA/FAA, sob a coordenação da professora Elza Neffa. E foi ali que nossos caminhos se cruzaram. Da condição de aluna, e a seu convite, passei a integrar sua equipe de pesquisa na qualidade de bolsista vinculada ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC/CNPq, no âmbito da Faculdade de Educação da UERJ. Oportunidade única e que fez toda a diferença na minha vida. Embora tenhamos perdido o contato, desde seu retorno a Natal, estive sempre a fuçar nos livros e na memória como meio de me reaproximar. Hábito que não cessa.      

 

Lei Municipal

O prefeito pediu e a Câmara autorizou o Executivo Municipal a conceder auxílio financeiro em favor de entidades que prestam serviços de proteção e preservação à memória e ao patrimônio histórico, artístico, paisagístico, ambiental e cultural do Município de Valença. Não são poucas as entidades que aguardam a regulamentação da matéria. (Lei nº 302, de 13 de março de 2018).

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...