A violência total 

Edição: 595 Publicado por: Marcelo A. Reis em 02/05/2018 as 08:36

 
Leitura sugerida

Caro leitor;

Chego em casa e encontro a Giselda às voltas com jornais e revistas. Pesquisando sobre a violência. Professora que foi, ou melhor que é, nunca deixou de o ser, está assessorando o neto dela, Enzo, em uma pesquisa sobre o tema. Fico observando. É violência contra os animais; contra as crianças; contra as mulheres; contra os negros; contra os pobres... 

Enfim, opção é o que não falta. Fiquei olhando, pensando, refletindo sobre algo que abranja tudo. Afinal, como não canso em repetir, esta é a coluna “Reflexões”. Pensamentos voam. Fico “tramecando” sobre as coisas do Brasil. Claro que acabo derivando para o lado político. É tudo! Tudo é causa/consequência dos jogos políticos. 

Veio a mente o”temer” e os seus asseclas; moreira, padilha, barbalho, lobão, sarney, rodriguinho e tantos e tantos... a turma, não menos barra pesada, do Lula, Dirceu, Pallocci , João Vaccari.... Ou seja a ladroagem, a roubalheira é suprapartidária. Esquerda e Direita, volto a repetir, apenas designam com qual das mãos o larápio surrupia. Os supracitados ao que tudo indica são ambidestros.

Essa é a maior violência. É a violência total!  É a ocupação dos espaços políticos para saquearem a nação. Você, que me honra com a sua leitura permanente, é testemunha de que, há mais de quatro anos, denuncio a Guerra de Quadrilhas que vivemos. À nós, “Povo Trabalhador” tão citado, compete ralar duro para sustentar os esquemas bandidos da galera. Você lembra de dizermos que o “temer”, ainda vice-presidente, estava focado no desmonte, na destruição da Lava Jato. As revelações do irmãos Joesley/Wesley, da JBS, mostram claramente o porquê. A blindagem dos moreiras, padilhas da vida está cada vez mais explicada...

Volto a falar da necessidade de formarmos um “Governo de União Nacional” que abranja todas as Forças Políticas da Nação. É preciso congregarmos todas as lideranças sérias, honestas, íntegras, não ladras, não safadas. É o momento de consensuarmos um amplo e profundo programa de reformas que possibilite desatarmos o nó político/institucional em que estamos enredados. Não nos enganemos dizendo, repetindo à exaustão, que as instituições estão funcionando. Estão? Não vejo assim. 

Como falar em instituições funcionando com a máquina pública carcomida como está? 

Como falar em instituições funcionando com um STF desacreditado? Justamente desacreditado! Desmoralizado por juízes que, em país cujas instituições funcionem, ali não estariam...

Como falar em instituições funcionando com um Legislativo desacreditado? Justamente desacreditado!

Com “Aecim” “contratando” cinicamente “empréstimos” às gargalhadas!

Como falar em instituições funcionando com um chefe de Executivo desacreditado? Justamente desacreditado !

Com “temer” e seus cupinchas blindados com dinheiro público!

Estamos inertes assistindo ao ministro Marun, com a sua brilhante inteligência verbal e infinita cara de pau, elogiar a competência “temerária”.

Me poupem!

Ou fazemos um pacto de seriedade, de honestidade ou...

Caminhamos para a ruptura...

Lamentavelmente...

Até a próxima.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...