Mais transparência

Edição: 600 Publicado por: José Valter Lima Monteiro. em 06/06/2018 as 08:25

 
Leitura sugerida

Hoje vou falar sobre o Hospital Geral ou melhor, Hospital José Fonseca que tantos benefícios trouxe à população, local, inclusive ao pessoal do campo. Atendia a toda a população valenciana, no Pronto-Socorro que lá existia e no atendimento hospitalar de excelente qualidade.

Lá nasceram várias gerações de valencianos.

Só que fizeram uma reestruturação num prédio que não havia necessidade.

Esse hospital foi construído mais ou menos na década de 50 com uma fachada muito bonita com varandas e sacadas, com janelas grandes em que o sol penetrava em seu interior.

Tivemos várias vezes familiares internados ali recebendo ótimo tratamento do corpo clínico e de notáveis cirurgiões. Pagávamos um plano de saúde que era acessível aos de menos recursos financeiros, e de repente, a ANS (Agência Nacional de Saúde) mandou fechar o plano e não nos deu nenhuma alternativa. Simplesmente o provedor nos mandou um comunicado da extinção do plano. Será que a irmandade não fiscalizava o provedor e deixava as coisas correr à solta?

Muito curioso é que, em Valença, começa-se uma obra pública e depois o dinheiro daquela obra, que não é pouco, acaba (dizem que acabou) e aí a obra é paralisada. Quando vai se aproximando uma eleição, começa a aparecer a grana. E recomeça a obra.

A Câmara diz que doou R$ 1 milhão e pouco, à prefeitura; o prefeito diz que não tem dinheiro para nada. A FAA, não sei se pode fazer investimentos lá, porque agora aquele prédio é do Governo do Estado.

O que está sendo feito lá, em tempo recorde é porque esse dinheiro já existia e estava na moita. Só aparece em épocas eleitorais. O povo valenciano está carente de tudo e não pode ficar esperando de pleito em pleito eleitoral, para que se construa algo para beneficiar a população.

O Estado diz que também não tem recursos. E eu fico matutando: como pode aparecer verba com uma crise como esta que estamos atravessando? Será que o Estado pagou todas as prestações à Irmandade? E será que os funcionários demitidos foram todos devidamente indenizados? Ou remanejados? Será que terão verbas para equipá-lo, o que provavelmente deve ficar mais caro do que a reforma?

Ou será que vão inaugurar e deixar fechado como fizeram com a UPA, para esperar as eleições de 2020 ou 2022?

Não gostei da estética da obra do “Novo Hospital maternidade”, ficou parecendo mais um presídio, enorme com janelas minúsculas; só não tem as grades. Mas enfim como diz o ditado: uns gostam dos olhos, outros...

Valença precisa se unir e não ficar fazendo política de grupos porque isso nos deixa muito sem perspectiva.

Político tem que trabalhar pensando na população que o elegeu e não ficar pensando na reeleição. Se fizer uma boa administração não precisa nem fazer campanha. Apesar de ser particularmente contra a reeleição.

Olha gente! Fiquem de olho! As eleições vêm aí! Procurem votar no melhor para todos e não no que vai ajeitar o seu lado e o de seu grupo político. Caso contrário nunca nos tornaremos livres. E isso é um prato cheio para eles; a nossa “dependência”...

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...