Destruição do Brasil - O suicídio de um país

Edição: 602 Publicado por: Ney Fernandes em 20/06/2018 as 08:42

 
Leitura sugerida

É inimaginável pensar Valença fora de um contexto internacional. Pode ser absurdo mas vivemos num mundo globalizado e o que acontece no mundo reflete em Valença, porque, primeiro não somos uma ilha em todo esse universo e depois estamos no Brasil! E estamos em Valença. Discutir simplesmente Valença, seria por exemplo falar de saúde, educação saneamento que é o que sabem prometer mas nunca cumprir, continuando tudo no mesmo, além dos muitos enriquecimentos, que são notados. Finalmente estas obrigações simples de serem atendidas e que é, uma questão elementar, muito comum de resolver administrar um município não tem nenhum segredo, só depende da seriedade do gestor e de alguma competência.

Mudando o foco deste texto, e saindo do simplismo, desejo entrar, um pouco, nas questões nacionais e internacionais. Quero colocar, o que consegui absorver colhidos, à base de algumas leituras, também. Primeiramente observamos com muita clareza, que o brasileiro é muito otimista ou ingênuo, se preferir, para não crer que estamos a caminho de uma, ainda, maior deteriorização da já precária ordem, econômica mundial.

Entendo que, numa análise um tanto quanto superficial, o que acontece no mundo hoje, não é para deixarmos de opinar e procurar entender. Podemos, então, prever que a “guerra” comercial” de Donald Trump, mais cedo ou mais tarde perderá o apêndice comercial. Não podemos esquecer que a falada “retomada econômica”, aquela que seria imediata, no Brasil, com a invasão de investidores estrangeiros, logo após a queda do governo do PT, não aconteceu. Depois passou a ser “lenta, gradual, porém segura” e afinal, virou um festival de sinais de alerta se acendendo à nossa frente. Com todas estas questões, some-se ainda a isso, um cenário eleitoral absolutamente anárquico, onde a direita tem vários candidatos, a esquerda quase nenhum, e ainda assim, o conservadorismo não sabe se, e como, vencerá. No entanto, tudo o que se lê e vê acontecer é um sem fim de ações policiais, provocações do MP e arreganhos do Judiciário (como disse Fernando Brito, do Cafezinho). Será que diante disso ficaremos frente a afirmações de ‘purismo’ eleitoral e deixaremos de compreender que estão dadas, como poucas vezes, as condições de enfrentar uma direita dividida, em um país onde teve todas as liberdades e só colheu fracassos?

Entendo que processos políticos exigem maturação, e não tenho dúvidas que, ainda existem políticos sérios atentos a tudo isto. Decisões e adesões de afogadilho nunca são bom caminho. Que se veja com clareza, que o Brasil, como nação está morrendo e que não se pode, diante disso, também ser suicida. Acho que cabe, ainda, falarmos um pouco da nova estratégia de segurança nacional dos EUA divulgada pela Casa Branca que já é discutida há anos, por brasileiros. Os americanos vêm usando a pretexto de combate à corrupção, como instrumento da CIA (Agência Central de Inteligência) para desestabilizar governos no mundo todo e na América Latina, especialmente no Brasil. Os EUA estão por trás da destruição do Brasil.

1 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Maria Teresa D'Alessio em 21/06/2018 às 13:05 disse:

Lamentavel o seu texto!
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...