Homenagem ao Sr. Hamilton Borba de Barros

Edição: 603 Publicado por: Elizabeth Santos Cupello (*) em 27/06/2018 as 10:26

 
Leitura sugerida

Ao ler o artigo “Cidade perde memorialista”, veiculado no último exemplar do Jornal Local – edição 602 de 21/06/2018 – além da tristeza que continuamos a sentir pela perda de nosso amigo, muitas lembranças vieram à minha mente.

Quando eu lecionava para o Curso de Letras, na FAA, realizei algumas exposições e, em uma delas, o Sr. Mita, gentilmente, emprestou-me algum material em jornais, fotos e textos que faziam parte, entre outros, da “Galeria dos Puros”, galeria esta criada por ele, pela observação perspicaz que fazia do procedimento inusitado daquelas pessoas retratadas.

Estas fotos, lembro-me bem, faziam parte de quadros pendurados na parede de seu escritório comercial. Eram tipos característicos, figuras inofensivas e bizarras que, com suas esquisitices, o faziam para divertir a outras pessoas.

Eu e Mario, de vez em quando, estávamos com o Sr. Mita em seu posto de gasolina, onde abastecíamos nosso carro e aproveitávamos para conversar com ele no escritório que possuía na firma “Silmita Autopeças”, onde ele relembrava de casos históricos e interessantes, genuinamente valencianos.

O Sr. Mita, realmente, possuía uma memória prodigiosa. Era muito proveitoso ouvir sobre pessoas e os casos verídicos e históricos contados por ele. Eram atraentes aqueles relatos.

É preciso contar com o entusiasmo de pessoas como ele, que dão continuidade à história cotidiana de uma cidade. São registros necessários que passam através de gerações. Nesse ponto – e também como uma homenagem – relembro de conversas com grandes amigos nossos, que assim como o Sr. Mita assinalaram os fatos e acontecimentos do caminhar da história de Valença, como: Antonio Cupello, meu sogro, que me contava muitas histórias sobre Valença, principalmente sobre a criação das fábricas; Sr. Nelson Ribeiro, com fotos e fatos; Albino Macedo, era a história viva de Valença; Geraldo Jannuzzi, com a história da educação da cidade; Lourenço Capobianco com as memórias da medicina em Valença; Camilo Bazzarella com a história do comércio farmacêutico valenciano; Benjamin Damasceno, filho do historiador, contava sempre detalhes da criação da Cia. Ferreira Guimarães; Profª Aida Mazzeo Ribeiro, que morou em uma chácara no Bairro Laranjeiras ainda criança e depois de casada foi residir na Rua Silva Jardim, em uma bonita casa com uma torre projetada segundo desenho de seu marido Nelson Ribeiro. Ela sabia belas histórias, tanto das Laranjeiras quanto do centro da cidade onde morou com seu marido e filhos; Profª Joanita Fraga Machado, que além de grande poetisa era Historiadora; o Prof. Custódio Clemente de Souza Pinto com a narrativa da ligação de sua própria vida com a história da cidade. Saudosos amigos!

Sr. Hamilton Borba de Barros, centro de nossas homenagens, e sua dedicada e incansável esposa Ana Lúcia e tantas outras pessoas que marcaram sua passagem pela cidade com sentimento de carinho, obras meritórias e cidadania, e por valorizarem a história de Valença, transformaram suas saudosas memórias em patrimônio valenciano.

Sempre que perdemos pessoas como o Sr. Mita, perde-se um pouco da história de Valença.

Com o querido casal Hamilton e Ana Lúcia, bem assim como os já citados, e tantos outros, inauguramos aqui a Galeria dos Inesquecíveis de Valença.

A todos da família o nosso sentimento de pesar.

 

(*) A autora é Advogada, Professora e Membro da Academia Valenciana de Letras e sua ex-presidente.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...