Mita

Edição: 605 Publicado por: Rogério Vianna em 11/07/2018 as 10:14

 
Leitura sugerida

Fui informado do recente falecimento do nosso inesquecível Mita, com quem compartilhamos bons e agradáveis momentos em Valença.

Na década de 70 passei alguns anos morando na Fazenda da Glória, ocasião em que mantivemos um bom relacionamento, desde quando o meu Jeep deu uma pane, exatamente ao lado do lembrado Posto Atlantic.

Mita, vendo minha cara de pouco entendido examinando o motor, sem grande compreensão do que ocorria, aproximou-se com sua elegância e se prontificou a me ajudar a solucionar o problema, rapidamente resolvido com sua competência.

Daí para diante passei naturalmente a ser cliente do posto e em consequência seu amigo e do Silvio. Numa época de falta de estrutura e ausência de comunicação, Mita passou a ser o meu apoio para tudo que se fizesse necessário. Desde ir à Fazenda avisar que minha esposa Maria Alice estava no Rio em processo de nascimento dos meus filhos, a chegada de visitas, telefonemas importantes, tudo passava por seu intermédio, além das noticias de última hora de seu sempre presente rádio falante.

Tivemos oportunidade também de usar os serviços da Transportadora, com seu possante FNM indo à fazenda apanhar centenas de caixas de tomate e ovos.

Na época, com a péssima estrada que ligava Valença à Gloria, deixava meu VW no posto e tomava o Jeep para ir até a fazenda. O inverso, quando vinha ao Rio de VW e deixava o Jeep no Posto.

Bons papos com Mita e Sílvio e alguns cafezinhos tradicionais.

Alguns anos mais tarde, na década de 90, quando arrendatário da Fazenda Santo Antonio do Paiol, estivemos juntos algumas vezes, quando nos visitava com sua possante moto.

Bons tempos que serão lembrados eternamente. Recebam o meu pesar e de minha esposa.

Rogério L. Vianna

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...