Eleição

Edição: 618 Publicado por: Gustavo Abruzzini em 10/10/2018 as 09:46

 
Leitura sugerida

Fazia tempo que uma eleição não nos deixava a todos atônitos e bestificados como esta. O fenômeno à direita confirmou ser o rolo compressor do momento e além de tornar favorito o improvável líder das massas, a seu reboque sustenta o sucesso de outros novos políticos até então pouco conhecidos.

 

Recordista

Em nosso reduto, consolidou-se a liderança e a inteligência política de André Correa (DEM). Além de reeleito para seu sexto mandato, um recorde, cá entre nós, bem impressionante, articulou com perfeição a ascensão de seu pai, o ex-prefeito Luiz Antônio (DC) que, a bordo do nanico partido do Eymael, conseguiu se tornar o segundo valenciano da fase republicana de nossa história a chegar na Câmara Federal.

 

Barba e cabelo

A região limitou-se a eleger apenas quatro deputados federais - Luiz Antonio (DC), Alexandre Serfiotis (PSD), Delegado Antonio Furtado (PSL) e Vinícius Farah (MDB) - e quatro estaduais - André Correa (DEM), Gustavo Tutuca (MDB), Marcelo Cabelereiro (DC) e André Ceciliano (PT). E Valença foi a única que, pode-se dizer, fez, como nos velhos tempos, estadual e federal.

 

De onde são

Serfiotis é ligado a Porto Real, filho de ex-prefeito. Delegado Furtado reside em Volta Redonda e Vinicius Farah é ex-prefeito de Três Rios. Dentre os estaduais, Tutuca é de Piraí, Marcelo Cabeleireiro de Barra Mansa e André Ceciliano ex-prefeito de Paracambi.

 

Toca a bola

A articulação só não foi melhor, porque o fenômeno fez ascender o candidato a governador Wilson Witzel que passou de passagem pelo Eduardo Paes e promete deixá-lo a ver navios. Sem governador amigo, André enfrentará problemas imediatos logo no começo do próximo ano, na realocação de seu pessoal nos órgãos ambientais do Estado.

 

Estão fora

Entre os derrotados, muitos dos candidatos apoiados por políticos locais. Esfacelou-se o MDB com a fragorosa derrota do deputado federal e ex-ministro Leonardo Picciani. E ele, ao final de seu mandato, poderá ter de se haver com o juiz federal Marcelo Bretas, que anda no encalço de seu pai e de seu irmão, sócios na Agrobilara. Outro que ficará de fora da Câmara Federal, é o deputado Julio Lopes, aqui apoiado pela família do prefeito Luiz Fernando Graça, em especial seu irmão vereador. Nelson Gonçalves e Laura Carneiro, esta apoiada pelo prefeito de Rio das Flores, também não conseguiram os votos suficientes para alcançar Brasília.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...