A hipótese da poesia

Edição: 621 Publicado por: Marilda Vivas em 31/10/2018 as 09:49

 
Leitura sugerida

Poesia

Talvez a poesia seja, para todo o sempre, a trincheira inventada para abrigar os sonhos. Mas, não é só isso. A poesia é um ato de resistência. Na poesia ficam gravadas as marcas do corpo e os anseios da alma. Mas, também, não é só isso.

 

dentro de muito poucas horas

a censura

sobre a nossa capacidade de predizer o futuro

cairá

e não nos restará proteção

leio isto num manual de instruções

e penso novamente na hipótese da poesia

(Dora Ribeiro - trecho do livro O poeta não existe) 

 

O poema (Lau Siqueira)

dentro de mim 

morreram muitos tigres 

os que ficaram 

no entanto 

são livres

-.-.-.-.-.-

Rosinha de Valença

A “Exposição Chega de Saudade - Rosinha de Valença” chegou ao fim com gosto de quero mais. Quem visitou teve a oportunidade de conhecer mais de perto a trajetória do talento ímpar de Maria Rosa Canelas.

Pelo que pude acompanhar, não foi tarefa fácil concretizar tamanha e merecida homenagem. Palmilhar os caminhos percorridos pelo violão magistral de Rosinha de Valença exigiu, de Solana Rovena, curadora da mostra, uma boa dose de tenacidade. Tenacidade que permitiu reunir, em um só espaço, materiais biográficos, artísticos e apresentações ao vivo.

Além de reportagens jornalísticas, fotos, cartas, discos, músicas e depoimentos gravados por amigos que dividiram com Rosinha o palco e as vivências que cercam uma boa amizade, a exposição foi enriquecida com desenhos e pinturas de artistas plásticos valencianos como Maria José Marchiori e alunos de seu ateliê, Wesley Monteiro, Tamiris Santos e Ana Paula Dantas; com o recital de poesias do grupo Sarau Solidões Coletivas e o tema “Rosinhas e outras flores líricas valencianas” e a apresentação de dança com bailarinos do Vivarte Escola de Dança.  

Devo dizer que o farto material cedido por familiares e amigos de Rosinha de Valença contém pérolas que estão a merecer uma biografia. Se por um lado permite destacar sua trajetória artistica, aqui e no exterior, por outro, nos conduz ao âmago de sua humanidade

Reza a lenda ter sido ela a inspiração de Jorge Ben ao compor a música Bicho do Mato. Eu não coloco dúvidas. Tímida. Simples. Solidária. Pés no chão ao fazer a leitura do mundo e da humanidade que nele habita.

Saí da exposição sabendo o quanto Rosinha foi Valença no violão e nas suas inquetações. Para mim isso ficou patente. E para saber se estou certa ou não, que venha sua biografia. Lamento, profundamente, não termos sabido preservar o Teatro apenas em seu nome. Ela fez jus a isso.

Em tudo por tudo, a exposição foi um marco histórico no calendário de eventos promovidos pela municipalidade, naquela ocasião.

 

São Pedro de Alcântara (1499-1562; Espanha)

No mês de outubro a Igreja celebra não só a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida (12), como também o padroeiro do país, São Pedro de Alcântara, cuja memória litúrgica é recordada no dia 19 de outubro.

Como Provincial, Frei Pedro entregou-se aos ofícios humildes, dedicou-se com carinho aos irmãos leigos. Cuidou dos doentes e adotou como lema de sua vida o pensamento de São Pascoal Bailón: “É preciso ter para com Deus um coração de menino, para com o próximo um coração de mãe, e para consigo mesmo um coração de juiz.”

Durante sua vida, sendo um notável pregador, foi o confessor do Rei Dom João III, de Portugal. Tornou-se, mais tarde, o santo de devoção da Família Real. Seu nome, Pedro de Alcântara, foi escolhido como nome de batismo dos dois imperadores do Brasil – Dom Pedro I e Dom Pedro II.

Foi Dom Pedro I quem solicitou ao Papa que proclamasse São Pedro de Alcântara como padroeiro do Brasil. E, assim foi feito, em 1826,

São Pedro de Alcântara morreu em Arenas de San Pedro (Ávila), no dia 18 de outubro de 1562, aos 63 anos. Em 1622 foi beatificado por Gregório XV e, em 1669, foi canonizado por Clemente IX.

Franciscano, o santo teve sua vida marcada pela penitência e mortificações. (franciscanos. org.br/?p=23189).

 

Advogando em causa própria (2)

Semana passada solicitei que a rampa de um dos passeios que dá acesso à minha rua fosse transformada em escada. Conversando posteriormente com os funcionários que fazem a recuperação de nossos passeios, mencionei o apelo feito através dessa coluna. Para surpresa minha, eles esclareceram que a obra está prevista na execução dos serviços que estão sendo realizados pela prefeitura. Fica o registro.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...