“Brasilégios”

Edição: 625 Publicado por: Marcelo A. Reis em 28/11/2018 as 08:39

 
Leitura sugerida

Caro leitor;

A imprensa do Rio de Janeiro noticiou, e a de todo país repercutiu, o caso de uma autoridade, Juiz de Direito, que parado em situação totalmente irregular, em 2011, em uma blitz da Lei Seca, insurgiu-se contra a aplicação das sanções cabíveis. Seu argumento foi aquele de sempre. Era um Juiz de Direito, um Meritíssimo! A funcionária do Detran-RJ manteve-se irredutível e, recebeu voz de prisão por “desacato à autoridade” ao dizer que “Juiz não é Deus”. O mais grave ainda não contei. Foi condenada, em segunda instância, a pagar para a “Excelência”, melhor seria “excrecência”, uma indenização no valor de cinco mil reais por danos morais. Francamente!

Confesso que, apesar da revolta que sempre nos assoma, não estou surpreso. Nem um pouco. Assim é o Brasil. O “Galã das Alagoas”, o sempre tristemente lembrado Renan, tem a pensão alimentícia do filho paga por uma das grandes empreiteiras, é pego com a boca na botija e o que acontece? Nada! Renuncia ao mandato, volta e hoje é o presidente do Senado da República. Não satisfeito, requisita um avião da Força Aérea e vai de Brasília a Recife para fazer um implante de cabelos. Deve ser o Pró-Pelos!  E denunciado, não se vexa. “Vou mandar a minha Assessoria Jurídica analisar e, se for o caso, ressarcirei...”. Diz com petulância e desdém pela patuleia. Nós. 

O notório Ministro Dias Tóffolli, advogado do PT, reprovado em dois concursos públicos para a Magistratura, é hoje Ministro do Supremo Tribunal Federal. Conluio do Executivo com o Senado!

Não vamos “fulanizar” a questão, mas basta passar na porta dos Tribunais, Assembleias e Câmaras e veremos frotas intermináveis com motoristas, lacaios e seguranças para os mandarins da República. Terminadas as eleições, chegada a hora da verdade, não tem a senhora Presidente da República condições políticas objetivas de cortar os privilégios da nossa “elite”, assim mesmo entre aspas, político - burocrática. Faltam professores, os que tem são mal formados e mal remunerados, não existe pessoal suficiente na Saúde, e o que tem, a mesma toada; mal formados e mal remunerados. Enquanto isso são aposentadorias e pensões escandalosas no Setor Público. As mutretas nos Executivos, Legislativo e Judiciário, tanto Federal como nos Estados são cada vez mais gritantes, acintosas. Um Judiciário que funciona pouco e mal, sempre, pleiteia e consegue benesses esdrúxulas. Auxílio Educação! Auxílio Moradia! Tudo sem necessidade de comprovação. É remuneração camuflada para não pagar Imposto de Renda!

Não há inocentes! Vivemos um “Mar de Cumplicidades”! São empresas de consultoria que são fachadas, “lavanderias”, “laranjas” de todos os tipos e sabores!...

Brasilégios deveríamos assim nos chamar!

Até a próxima semana.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...