Consciência Negra

Edição: 626 Publicado por: Ney Fernandes em 05/12/2018 as 08:00

 
Leitura sugerida

*Sem um fim social, o saber será a maior das futilidades.

*O Brasil está sendo vendido com apoio das elites. / O povo negro é o mais prejudicado na dominação neoliberal (Luiz Carlos Bresser Pereira)

 

Falar sobre a situação do negro no Brasil, não é um tema fácil, considerando que existem muitas opiniões, que às vezes são contraditórias e nem sempre aprofundam a questão, muitos misturam a escravidão negra com a tentativa de tentar escravizar os índios. A exploração que foi feita e ainda vem sendo feita, dos negros, em nossa sociedade levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a assinar a Lei 10.639, incluindo no calendário escolar o dia 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra. Os dados que temos em mãos ratificam os fatos reais que estamos vivenciando todos os dias, que demonstram as diferenças em nosso país, como, preliminarmente, podemos constatar que: 70% dos presos, encarcerados, no país, são negros: somente 4% dos negros conseguiram chegar às Câmaras e Assembleias Legislativas, sendo que a população negra, hoje no Brasil, é 51% maior, que a população branca. Quando tomamos conhecimento desse quadro, nos vêm à mente os motivos de tamanha absurdo, mas, é simples de explicar: estamos diante de encarceramentos, ainda dentro de um sistema escravocrata e a naturalização da violência contra uma maioria negra e brancos pobres que têm sido vítimas de um processo de exploração sem limites. Fazemos o seguinte questionamento: o negro, principalmente, e o branco pobre, quando nascem, já nascem bandidos ou assassinos? Não! Não nascem; são frutos de mistificadores de uma sociedade sem oportunidades, sem igualdade, discriminatória e, principalmente, onde não existe a mínima e necessária distribuição de rendas, que estão concentradas nas mãos de poucos brasileiros e do grande capital internacional. Sabe-se, que no Brasil hoje, existem várias organizações de negros, e não só, que lutam pela introdução, cada vez, mais pela sua inclusão social, de fato. Existem avanços e mudanças no pensamento do povo, com a necessidade, ainda, de se descolonizar as mentes das pessoas, em geral, porque, entendemos, que escravidão é sinônimo de violência. Muitos livros foram escritos e ainda o são, discutindo a situação da escravidão, no Brasil. Por exemplo: entre muitos outros livros Gilberto Freire, escreveu Casa Grande & Senzala. Onde cunhou a frase: O Brasil é uma democracia racial! Sem nenhuma pretensão discordo do que foi dito e escrito pois para mim esta não é a realidade. Como disse acima, as diferenças são grandes em nossa sociedade. Aproveitando esta frase de Gilberto Freire, Getúlio Vargas em determinado momento, em discurso, usou o mesmo dito de Gilberto Freire e para explicar a escravidão, comparou-a a uma feijoada: O feijão era o negro, o arroz o branco, a couve a mata e a laranja o nosso ouro. Por mais que você pesquise, será difícil tratar este tema com toda certeza, mas nos esforçamos em pesquisar o que foi possível e, mesmo assim, acredito que ainda deixo a desejar nas minhas pretensões de falar sobre a Consciência Negra.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...