Sob novas direções

Edição: 628 Publicado por: Marilda Vivas em 19/12/2018 as 09:03

 
Leitura sugerida

Poucos dias à frente e estaremos vivendo sob nova direção. Até aqui, o que se tem é um ensaio grotesco, onde sequer se consegue juntar lé com cré, e sinistro o suficiente para despertar o mau humor de um urso que não se deixa abraçar por uma águia.

Poucos dias à frente e estaremos enfrentando os desafios de um governo que em momento algum dá mostras de que vai se deixar molhar completamente pelas ‘águas culturais’ das massas populares, para poder senti-las e compreendê-las (Freire&Faudez).

Poucos dias à frente e estaremos postergando, concretamente, o sonho de unificarmos os movimentos sociais de gênero, de etnia, de cultura, de luta pelos direitos humanos, de ação comunitária e de vocação ambientalista, gestados nos anos 1970/80.

Poucos dias à frente e estaremos nos desprendendo de vez da América Latina. No papel que seja. Mas o preço, ainda assim, será muito alto. O poder revela pessoas.

 

Natal

Poucos dias à frente e estaremos celebrando o Natal. Como nos relacionamos com essa celebração cristã é algo bastante pessoal e intransferível. Se nos pautamos em Cristo, somos cristãos. Se somos cristãos não podemos nos furtar do comprometimento político com as classes populares.

Paulo Freire considera que “ser cristão não significa necessariamente ser reacionário, como ser revolucionário não significa ser ‘demoníaco’. Ser revolucionário significa estar contra a opressão, contra a exploração, em favor da libertação das classes oprimidas, em termos concretos e não em termos idealistas (Ação cultural e outros escritos, 1982, p. 113).

Vale pensar

O texto de autoria de Frei Betto me foi enviado pela professora Ana Maria Cabral, amiga por quem nutro apreço e gratidão. Texto antigo, do tipo que não perde atualidade, nele o autor oferta dez conselhos para os militantes de esquerda. Reproduzo o décimo. Pela história que se constrói a cada passo.

– Faça da espiritualidade um antídoto contra a alienação:

Não falo de fé. A espiritualidade pode ser religiosa ou não. É importante que cultivemos a nossa subjetividade. Falamos como militantes e vivemos como burgueses, acomodados ou na cômoda posição de juízes de quem luta. Os dons da vida são um mistério, a vida é toda centrada na experiência do amor, e o amor é um mistério. Não importa se uma pessoa é ateia ou à toa, tem é que ser revolucionária. E sem tem uma coisa da qual nós podermos ter certeza é a de que o amor é revolucionário. (http://bit.ly/frei-beto-conselhos-para-militancia)

A tod@s boas festas de fim de ano. E que venham as férias e com as férias um céu coalhado de pipas coloridas.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...