Dança é Arte e Cultura

Edição: 629 Publicado por: Gilberto Monteiro em 09/01/2019 as 09:00

 
Leitura sugerida

A reativação do Conselho Municipal de Cultura, aqui em Valença, é o bom presente que os Valencianos recebem nesta época de Natal.

Possuímos um bem enorme na área da Cultura, ao qual se agrega o Clebinho e esposa com a Academia de dança.

Inicialmente se dedicavam à Dança de Salão e, aplicadamente, fizeram retornar aqueles momentos de puro enlevo e criatividade amorosa que envolve um casal. Eis de volta o tempo do “dois para lá, dois para cá” que tanto nos embalou. A prática, quase esquecida, que envolve os casais na busca de volteios, tão rica de exercícios, foi gradativamente crescendo, na Academia de Dança do Clebinho.

Soma-se, agora, ao “dois para lá dois para cá” um verdadeiro Corpo de Dança: são pessoas de todas as idades e classe sociais se esmerando, é o guarda-roupa bem elaborado e a responsabilidade dos dançarinos tão cônscios e certos dos seus papéis. É a orientação do Clebinho e esposa, sua persistência transformando em fermento que leva pessoas a se dedicarem com afinco a uma atividade cultural.

A recente apresentação no Clube dos Democráticos nos mostra, uma vez mais que Valença possui um volumoso contingente cultural que pode nos transformar em município, agora, modelo em Cultura. São ações da FAA, da Associação Balbina Fonseca, dos Maestros que vão aperfeiçoando o ouvido dos jovens nas diversas atividades musicais. É a Casa Lea Pentagna onde só o jardim representa a Cultura. São as escolas de música, os pintores, os corais, as fazendas, é a Academia Valenciana de Letras e ainda a poesia contando com apoio de Beatriz de Oliveira, escritora que persiste na ideia do Grupo da Poesia, ali na Companhia do Livro. É a Fliva Feira de Literatura de Valença, a Festa da Glória, a Folia de Reis, a Casa Viva que mostra o carinho e o valor de nossos artesãos ao vestirem a Casa Lea Pentagna. São os grupos de Rap, os cantores e músicos se apresentando nos bares e restaurantes, seguindo o caminho indicado por Rosinha de Valença, Clementina de Jesus, Fio da Mulata e outros tantos de antanho.

Nada de esquecimento para Baianinho “O Lider” com os seus carnavais, suas batalhas de confete, suas corridas de bicicletas.

Arte e Cultura permeiam por Valença. A Cultura, segundo estudiosos, é o melhor antídoto para a Violência. Ela e a arte estão aí mesmo e não vale mais ficar dizendo que Valença não tem nada.

É preciso prestigiar mais, estar mais presente. Bater palmas. O Clebinho com sua força, ação, técnica e arte e a esplendorosa noite no Clube dos Democráticos nos mostram outra faceta da Cultura.

Valença é uma das cidades que possui cinema e só 5% das cidades brasileiras gozam dessa vantagem. Talvez um pequeno reajuste nos tipos de filme, já que o cinema brasileiro está produzindo muito e muito bem, traria de volta ao cinema os cinéfilos da cidade.

Valença dispõe, ainda do Distrito de Conservatória, cuja marca é a seresta. Todos os distritos estão interligados por asfalto e todos eles são tão cuidados e bonitos como muitas pequenas cidades.

A reativação do Conselho Municipal de Cultura, aqui em Valença, nos sinaliza como progresso pois o Turismo é a atividade mais rendosa do mundo. Nosso Turismo começa a desabrochar e ações irmanadas poderão nos levar longe.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...