Comunicação é sério

Edição: 635 Publicado por: Gustavo Abruzzini em 20/02/2019 as 08:14

 
Leitura sugerida

Em plena era da comunicação, continuam pipocando casos de políticos que por ignorância (dele e de seus assessores) ou por arrogância (dele e de seus assessores), se veem diante da Justiça devido a excessos em querer aparecer ou por promiscuidade na publicação de seus atos. Seguem dois casos recentes.

 

Ostentou

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou, na quinta-feira (14), ação civil pública por ato de improbidade administrativa em face do deputado estadual Max Rodrigues Lemos, ex-prefeito de Queimados. O inquérito civil apurou notícia de promoção pessoal do então prefeito, por conta de publicação de matérias autopromocionais citando realizações de sua administração à frente da municipalidade, no site da própria Prefeitura.

 

Ostentou II

Na ação, que tramita junto à 2ª Vara Cível de Queimados, o MPRJ requer que o réu seja condenado ao pagamento dos danos causados ao erário de Queimados por conta das publicações ilícitas e nas sanções do art. 12 da Lei n. 8.429/92 (suspensão de direitos políticos, multa, dentre outras) pelos atos de improbidade administrativa conectivos.

Publicação é sério

Já o ex-prefeito de Silva Jardim (RJ), Wanderson Gimenes Alexandre está sendo denunciado pelo MPRJ por associação criminosa, fraude a licitações e crime de responsabilidade. Segundo a denúncia, o prefeito associou-se com agentes públicos e empresários para beneficiar-se de dois contratos para prestação de serviços de publicidade de atos oficiais. Por que será que é tão difícil fazer a coisa certa, para evitar tais constrangimentos?

 

Economia ou desconsideração

Em Valença, infelizmente a Prefeitura e a Câmara insistem, com a cumplicidade do TCE, em desconsiderar a existência do Jornal Local e descumprem a Constituição Estadual e a Lei Orgânica. Fazem suas publicações no clandestino “Boletim Oficial Eletrônico” a que pouquíssimos valencianos têm acesso e que o governo mantém total controle.

 

Ninguém se opõe?

Aliás Valença está ficando muito chata. Há algum tempo, ninguém se coloca como oposição da política estadual, o que coloca nossos políticos desta última década, todos, e eu disse todos, aliados dos encarcerados e escrachados Cabral e Pezão. Com o atual governo, a propalada união das famílias Graça e Correa, e a ânsia dos vereadores de verem suas demandas consideradas pelo prefeito, tornou Valença numa cidade da política da pasmaceira. Ninguém faz oposição a ninguém.

 

Eu, traidor

Chegou aos meus ouvidos que por conta de termos noticiado o drama do deputado André Correa, ou por não ter omitido o que todo mundo teve acesso por todos os meios de comunicação, este colunista tem sido taxado de traidor para uns e outros do grupo político do deputado. O que posso lhes dizer? Exerço minha profissão com muito orgulho, desde quando ofereci o melhor desempenho dela a eles (grupo político), por algum tempo. Quando enveredamos pelo Jornal Local, começamos nova jornada, diga-se de passagem, sem nenhum compromisso com quaisquer grupos políticos, muito embora pouca gente acreditasse e este grupo se beneficiasse da dúvida. Portanto, não traímos ninguém. Caso nos dobrássemos ao senso comum deles (grupo político) de nos omitirmos, como fez toda a classe política, aí sim estaríamos traindo nossos leitores que, na verdade, é quem nos sustenta e mantém. Viva a liberdade de imprensa! Abaixo os chatos e puxa-sacos de plantão da politiquinha valenciana!

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...