Bacurau

Edição: 664 Publicado por: Marilda Vivas em 11/09/2019 as 08:59

 
Leitura sugerida

Em exibição nos cinemas nacionais, Bacurau, que mostra uma comunidade rural nordestina sendo alvo de invasores, vai se revelando uma obra-prima do cinema nacional. Nada ali é gratuito ou desperdiçado. Já nas primeiras cenas, e no exato momento em que me pergunto onde é que os autores querem chegar com aquela história, a princípio, um tanto confusa, é justo o momento em que a narrativa passa a desenhar, de modo frenético e algo divertido, onde estamos e para onde nos dirigimos.

Está lá o Brasil: o povo, a milícia, a tecnologia, o imperialismo e seu modus operandi, a solidariedade capaz de mitigar a omissão do poder público e a canalhice de políticos instalados em pontos chaves de decisão etc., etc. São muitas as possibilidades de leitura. Tantas que me atrevo a dizer que não podem e não devem ser desperdiçadas. Ao contrário, que sejam armazenadas como uma memória para utilização posterior a pequeno, médio e longo prazo. Imperdível.

 

Torre das donzelas

Com lançamento previsto para o próximo dia 19 de setembro, em circuito nacional, o documentário “Torre das Donzelas”, dirigido por Suzanna Lira, retrata a experiência de muitas detentas na ala feminina do presídio Tiradentes, em São Paulo, criada durante a ditadura militar e que durou três anos (1969 -1971). Os relatos são carregados de emoção. Entre os depoimentos está o da ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff, à ocasião com 19 anos, militante do grupo de luta armada VAR – Palmares, que ficou presa no local. Ela foi a última a aceitar a prestar seu depoimento, embora isolado, sem ter ido ao local reconstruído.

“Acho que naquele momento elas sentiram a importância de falar sobre o assunto, principalmente a presidenta Dilma. A gente tem que falar do passado e não fingir que não aconteceu. Esse passado é uma das coisas mais lindas da biografia dela, de ter lutado contra a ditadura militar durante sua juventude”, afirmou.

Susanna também viu na obra a ocasião para destacar o papel de muitas mulheres em combate contra o regime militar. “A gente ouve falar sobre luta contra a ditadura muito de um ponto de vista masculino, dos grandes ícones. As mulheres sofreram um duplo preconceito; primeiro porque luta política não era lugar de mulher (inclusive no filme elas relatam que ouviam: ‘você aguenta, você é macho’). E segundo, que naquela época, vivia-se uma revolução de costumes. Esse grupo de mulheres é muito especial porque estavam quebrando padrões e lutando pelo direito político de ser mulher plenamente”.

No momento em que representantes do governo brasileiro buscam criar uma outra narrativa para o período da ditadura militar, relativizando o regime de exceção instaurado entre 1964-1985, Susanna diz que seu filme contribui para manter vivo um passado que muitos pretendem apagar.

Entrevista e trailer disponíveis em: <http://br.rfi.fr/brasil/20190416-rfi-convida-susanna-lira>  

 

Provocações

Para complementar as leituras, faço uma outra sugestão: assistir a entrevista de Therezinha Zerbini concedida, em 2012, ao consagrado Antônio Abujamra no não menos famoso programa “Provocações”, da TV Cultura, do qual foi um dos criadores.

A entrevistada também cumpriu pena no presídio de Tiradentes, na famosa “Torre das Donzelas”, onde conheceu a jovem obstinada e corajosa Dilma Roussef. Embora não tenham dividido a mesma cela, seu depoimento ratifica a integridade moral e ética da ex-presidente do Brasil.

Therezinha Zerbini foi encarcerada como subversiva sem ser. Seu marido, então General de Brigada, manteve-se fiel às forças constitucionais opondo-se ao fatídico Golpe Militar de 31 de março de 1964, que derrubou o presidente Jango. E assim, em uma tentativa de desmoralizar o general de brigada Zerbini, seu marido, a polícia política do regime a encarcerou como subversiva.

Saiba, também, sobre a Operação Bandeirante (OBAN) criada em 1969 pelo Regime Militar com o objetivo de investigar e desarticular facções revolucionárias que subsistiam à época no país, vindo a tornar-se um centro irradiador de arbitrariedades e violação dos direitos fundamentais.

Saiba mais: www.youtube.com/watch?v=BVNTz9WIjg0.

 

Eleições à vista

As eleições já batem às nossas portas. Vez por outra já é possível observar velhos e novos postulantes cevando idosos e os desvalidos de tudo quanto é sorte desta vida. E em muitos, reparem só, terno e gravata são apenas isso: terno e gravata. Ainda que tragam em si detalhes das cores nacionais.

 

Ministério Público

Na trilha de entender, continuamos provocando o Ministério Público. Desta feita para saber se é lícito vereador compor comissão municipal instituída pelo Poder Executivo para elaborar Concurso de Projetos para criação do novo sistema de esgotamento sanitário e abastecimento de água, no município de Valença.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...