Serra Negra aguarda implantação

Edição: 665 Publicado por: Aloisio Melo Morais em 18/09/2019 as 09:18

 
Leitura sugerida

O Parque Estadual da Serra Negra da Mantiqueira completou em julho último, um ano, sem que o Governo do Estado de Minas iniciasse sua implantação definitiva. Por enquanto, o parque ainda não saiu do papel, com seus 4.204 hectares abrangendo os municípios de Rio Preto, Santa Bárbara do Monte Verde, Lima Duarte e Olaria.

Conforme o decreto que criou o parque (nº 301 de 04/07/2018), o prazo para a sua implantação é de cinco anos. A situação financeira difícil do Estado de Minas Gerais está dificultando a criação de infraestrutura do parque, que será de extrema relevância para a preservação de ecossistemas naturais da região.

Um desses é o Bioma da Mata Atlântica que abriga uma rica diversidade ambiental de flora, fauna e muita água. As belezas naturais existentes na área do parque são muitas, com exuberantes cachoeiras, grutas e cânions. A gruta do Funil, em Rio Preto, é um desses encantos.

Além dela muitas outras cachoeiras, como a do Café, Água Limpa, Amorosa, Toca do Coelho, Água Vermelha, etc., têm sido motivo de visitação turística. Na época do verão (que se avizinha), elas ficam cheias de turistas nos finais de semana. A região é aconchegante e bela, por isso aumenta o número de moradores que compram terrenos no Funil.

O mesmo acontece em Três Cruzes, em Santa Bárbara do Monte Verde, onde é crescente o movimento de turistas. O projeto de criação do Parque da Serra Negra da Mantiqueira é de grande interesse público. Conforme ressaltam os técnicos do Instituto Estadual de Florestas, em Minas, “o parque atinge a uma população estimada em 26 mil pessoas” – avaliam.

Para a consecução do parque os técnicos avaliaram que “o bem comum é mais importante do que os interesses particulares. E o interesse social é maior do que o individual”. Por essa razão é que trabalharam durante mais de 10 anos para sensibilizar o governo estadual a criar a unidade de conservação ambiental.

Entre os principais benefícios que o novo parque trará para as regiões abrangidas, principalmente Rio Preto e Santa Bárbara do Monte Verde, estão: uso público sustentável, contribuição para o ordenamento territorial da região, aumento da segurança pública, educação e preservação ambientais.

Também, conforme ressaltam os técnicos do IEF, “haverá a valorização da terra e o acesso de todos à água, de muita quantidade na região. Certamente a unidade de conservação será um elemento essencial na infraestrutura geradora de trabalho e renda para a população envolvida”.

Toda a área do Parque Serra Negra da Mantiqueira conta com grande potencial turístico. As serras do Funil e de Três Cruzes têm em comum paisagens exuberantes, mirantes e biodiversidade espetacular. Toda esta riqueza turística é também extremamente frágil

E para que não seja degradada com facilidade é necessária a proteção governamental que evite o crescimento desordenado do turismo. É preciso que haja regras específicas para a visitação às áreas do novo parque florestal mineiro, garantindo assim acesso de todos (ricos e pobres) de maneira segura e sustentável.

Existem na região do parque cerca de 1,3 mil espécies de plantas, sendo que conforme avaliação dos técnicos do IEF “Trinta delas estão ameaçadas de extinção. Além disso, existem ainda centenas de espécies de pássaros e anfíbios. E são dezessete microbacias hidrográficas nomeadas na Carta do IBGE”.

E, para finalizar, existem na região do parque dezenas de grutas, inclusive com valor cultural, pois foram no passado refúgios de escravos, solitários ou em quilombos. Têm ainda trilhas históricas como a do caminho do biólogo Saint-Hilaire, que em 1822 passou pelo Funil.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...