O povo que se lasque

Edição: 668 Publicado por: Redação em 09/10/2019 as 09:10

 
Leitura sugerida

Salta aos olhos, a cada nova divulgação das manobras de nossos políticos, que eles não se abalam. A cada nova votação importante ou determinante para os desígnios de quem vive cá embaixo no mundo real, que eles só pensam ou só vivem a política, imbuídos unicamente de seus interesses pessoais e familiares.

Tem sido triste ser brasileiro, tendo uma classe que deveríamos tanto respeitar, quanto admirar, passando tão longe dos anseios de um país desenvolvido e pujante na sua economia.

O que se vê, infelizmente, são disputas corporativas de poder e dinheiro, tão somente. Existem exceções, é claro, mas que também pouco se posicionam como gostaríamos no sentido de lutar tão somente por liberdade. Liberdade do jugo dos interesses mesquinhos dos que trabalham para se dar bem usando, para tal, as riquezas do país, ou a força de trabalho dos fiéis brasileiros. Não fiéis a eles, mas sim ao país em que continuam acreditando, mesmo diante de uma enxurrada de ações que lhes desrespeita, lhes suprime direitos ou lhes suprime o mínimo necessário para viver condignamente. Enquanto seus representantes só pensam em reformas que não lhes atinjam, muito pelo contrário, enquanto exigem da Nação sacrifícios, nenhum por eles é feito ou sinalizado. Não, fundo partidário, assessores, verbas indenizatórias, auxílios de toda sorte são intocáveis, mesmo que pouca contribuição façam, bom exemplo carece.

O brasileiro é esmagado pela verdade da classe política que não se abala com as dificuldades com que o nosso trabalho e o nosso consumo lhes servem para sustento de suas mordomias e exageros. Atores de uma peça teatral de péssimo gosto, nossos políticos de nossas assembleias brincam com a fama que eles mesmos nos deram de povo cordato e inofensivo. Porém deveriam estar preocupados, pois o investimento que fazem tem sido claramente numa cada vez mais próxima convulsão que acabará sendo usada com ares de propriedade por quem estiver à frente do Executivo. Afinal, nossa classe política dá claras demonstrações de que não está com o seu povo. Apenas se utiliza dele. E nessa maré, novos oportunistas à frente de governos estaduais, mal começaram seus governos de muito confete e serpentina, já se dizem candidatos ao planalto. Incensados pelo quê? Ambição e volúpia política apenas. O povo que se lasque.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...