Muros

Edição: 673 Publicado por: Marilda Vivas em 14/11/2019 as 09:30

 
Leitura sugerida

Tempos atrás, um recorte pequeno de papel amarelo pregado na fachada do nº 265/A, da Avenida Nilo Peçanha, chamou minha atenção. Que diabos era aquilo? Poesia? Sim. Naquele pequeno papel amarelo havia poesia.

 

“Coisa de maluco

    é ficar sem

    ir na terapia!”

 

Não havia outros, mas só aquele me bastou. Saquei meu celular, fotografei e aqui estou dividindo com vocês esse momento de frescor.

Na loja ao lado, em pleno domingo de avenida quase deserta, um aviso me provoca risos: “Volto já. 5 minutos”.

Não é de hoje que ando observando e registrando os grafites e seus significados. Mas, aqueles pequenos cartazes acabaram se transformando num ponto fora da curva. Um ponto capaz de transformar o dia e nos inspirar.

-.-.-.-.-

 

Observo que os muros externos da Casa Léa Pentagna estão sendo plantados de poesias. Até o momento, de forma livre e provocativa, podemos nos inspirar na obra de Monteiro Nogueira, Walter Menezes, Gilberto Monteiro, Vito Pentagna, Rosinha de Valença, Beatriz de Oliveira e Blandina Ribeiro Figueira. Expressões literárias a invadir nosso cotidiano.

 

.-.-.--.-

 

Retratos

Joguei fora teus retratos

Como se abstratos

Não registrassem o que ficou,

Mas a lembrança perdida

Foto esquecida ressuscitou.

 

Joguei fora teus retratos

Como se abstratos

Perdessem a história,

Mas o negativo

Retrato vivo

Ficou no arquivo da memória. 

(Blandina Ribeiro Figueira)

 .-.-.-.-

 

Dias de novembro

9 de novembro de 1989 marca, oficialmente, a queda do mais expressivo símbolo da disputa geopolítica iniciada ao fim da Segunda Guerra Mundial entre os Estados Unidos (liderando o bloco capitalista) e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (à frente do bloco socialista): o muro de Berlim. Nesta data, o governo da Alemanha Oriental avisou para a população que, a partir da meia-noite, não havia mais a proibição de sair do país.

No 30° aniversário da queda do Muro de Berlim, a Alemanha reunificada continua a lutar por uma identidade comum. 

A busca por uma sociedade livre jamais deixará de enfrentar seus desafios.

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...