Quem será?

Edição: 681 Publicado por: Gustavo Abruzzini em 22/01/2020 as 09:05

 
Leitura sugerida

O clima está para filme de suspense, mas, ao que tudo indica, a Cedae está na marca do pênalti. Segundo rumores, o prefeito deve anunciar, em breve, a empresa que assumirá o sistema em caráter de emergência. Tudo indica que das duas que apresentaram propostas, a do empresário Erasmo Romano Leite Pinto é a mais integral.

 

Erasmo

Caso se confirme a volta de Erasmo, tenho a dizer que a fase em que o sistema esteve sob sua responsabilidade – leia-se Cia da Água – Valença era feliz e não sabia. Naquele período, a referida empresa permissionária conseguiu recuperar o sistema e ofereceu água de qualidade a ponto de o consumidor não ter do que reclamar. Além do mais, Erasmo é filho de Valença e por isso é e sempre será comprometido com a cidade.

 

Carpaccio

Na recente posse da nova diretoria da Aciva, o prefeito circulava tranquilo e no coquetel, entre um carpaccio e outro, conversava sobre política e políticos, enquanto falavam-lhe sobre possíveis candidatos a sua cadeira de problemas.

 

Sopra

E no dia 1º de fevereiro quem completa idade nova é nosso companheiro e colunista Marcelo Reis. Com muitas e boas passagens por governos do Rio de Janeiro, o missivista completa 70 aninhos servindo, com seu prestígio acumulado, aos municípios de Valença e Rio Preto. Parabéns Marcelão!

 

Dois abraços

Também na noite de posse da nova diretoria da Aciva, agora liderada pelo empresário Luiz Henrique Magalhães, estive com o vereador Saulo Correa que na despedida nos abraçamos duas vezes. Acho que um abraço foi meu por ele ter me chamado de inteligente e o outro foi dele por ter proposto o voto de repúdio a este jornalista. Zero a zero, comprovamos que apesar de críticas de lado a lado não somos obrigados a brigar, romper laços ou fechar a cara um para o outro. Imprensa e política, sendo autênticas, podem se ajudar muito na busca da democracia plena.

 

Brancaleone

E para não dizer que não falei de canhões, esta tendência dos políticos valencianos de se vangloriarem de atos e fatos que não são mais do que obrigação de pessoas públicas, já está enchendo as medidas. E por este caminho vai a Câmara se vangloriando de ter economizado nosso suado dinheiro público, o que é sua obrigação, no mínimo. E por outro, o prefeito anuncia, todos os meses, como grande feito pagar em dia o funcionalismo. Ê tempos difíceis!

 

Mato e buraco

E com as fortes e constantes chuvas deste anômalo e frio janeiro, sobressaem ainda mais os buracos das ruas e o matagal junto aos passeios. O primeiro problema é dor de cabeça do prefeito e o segundo, ao que parece, cabe à empresa terceirizada da coleta de lixo que não tem empregado muita gente para tal serviço.

 

Terceiro setor

Faltou dizer, no final do ano de 2019, que Katia Tabet, Raimundo Matos, Adriano Novaes, Edna Victor, Leila Pavetits e Dione Lima tomaram posse como membros do Conselho da Fundação Cultural e Filantrópica Lea Pentagna. E que Regina Fonseca foi reeleita para novo mandato na Associação Balbina Fonseca e este colunista para mais um mandato na Academia Valenciana de Letras.

 

Niterói

Nas redes sociais, quando o assunto é o Estado do Rio, muita gente se arvora em admiração a outros Estados pelo planejamento. As interpretações que acham que nossos problemas advêm somente da qualidade de nossos políticos, esquecem que somos originários do antigo Estado do Rio, não o da Guanabara, mas o que tinha capital Niterói. E que por tal, junto com a antiga capital federal (Rio cidade) se enfraqueceu a cada virada histórica. A começar pela Abolição que quebrou nossas fazendas, passando pela República que levou ao poder a elite paulista, até a fusão mal resolvida, e, por fim, chegar à redivisão dos royalties do petróleo que era nosso.

 

Emboabas

Para o projeto de supremacia paulista alcançar seu patamar mais alto, só falta suplantar o Carnaval de escolas de samba do Rio, diminuir ao mínimo os royalties do petróleo, projetos em curso, tornar o Corinthians maior que o Flamengo, destruir a Rede Globo e desviar a água do rio Paraíba do Sul. Pobre Rio de Janeiro, quem mandou humilhar os demais por suas belezas naturais e culturais?

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...