Jornal Local participa de encontro nacional

Edição: 367 Publicado por: Jornal Local em 14/11/2013 as 10:41

 
Leitura sugerida

O editor responsável do Jornal Local, jornalista Gustavo Abruzzini de Barros, participou no final de semana, no município de Armação de Búzios, na Região dos Lagos, do XIV Congresso da Associação dos Diretores de Jornais do Interior do Estado do Rio de Janeiro (Adjori/RJ) e do III Encontro Nacional de Jornais do Interior. O evento teve abertura solene na noite de sexta-feira (08), com a participação dos deputados federais Otávio Leite (PSDB) e Adrian Mussi (PMDB), do presidente da Adjori Brasil, Miguel Angelo Gobbi, além de representantes das Adjoris de São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Sergipe. E com as palavras de boas vindas do presidente da Adjori/RJ, Paulo César Caldeira, a edição deste ano do tradicional evento teve início.

Durante as reuniões de trabalho, que contaram com cerca de cinquenta representações de jornais, foram discutidos temas como “Planejamento Estratégico do Jornal”, “O futuro dos jornais do interior dos Estados” e a “Lei de Acesso a Informação”. Miguel Angelo Gobbi, presidente da Adjori Santa Catarina e da Adjori Brasil, defendeu a urgente necessidade de se manter a união dos jornais em torno das adjoris. “Sozinhos não somos nada, unidos temos força”. Gobbi ressaltou, ainda, a formação do Cadastro Brasileiro de Jornais, a criação de uma Operação Comercial Unificada, a elaboração de programas de capacitação e aperfeiçoamento dos jornais associados e o lançamento da Agência de Notícias, para fornecimento de material noticioso aos jornais associados, e do portal da Adjori Brasil. Carlos Baladas, presidente da Adjori São Paulo, defendeu a necessidade de se aferir e auditar a tiragem, a periodicidade e a circulação como ação fundamental para manter-se prestigiado pelo mercado.

Lançamentos

Foi durante o evento que foram lançados e apresentados o novo portal da Adjori/RJ e o projeto de sistema integrado para jornais que deverão atuar no sentido de fortalecimento das publicações do interior.

Na sequência, o nome de Laércio Ventura, fundador da Adjori/RJ e militante da imprensa de Nova Friburgo, falecido em fevereiro deste ano, foi fortemente lembrado por diretores como Oscar Pires do “O Debate” de Macaé que apresentou sua história de sucesso.

Paulo César Caldeira e Pablo Sérgio de Freitas, presidente e vice-presidente da Adjori/RJ, anunciaram que serão feitas reuniões regionais para fortalecimento da instituição.

 

Promotor esclareceu aspectos da Lei de Acesso

Convidado para desenvolver o tema “Lei de Acesso a Informação”, o promotor público Ricardo Zouein cativou os presentes pela forma didática e estudada como expôs as nuances da Lei 12.527. Na sua apresentação pessoal, Zouein contou sua trajetória quando por diversas ocasiões encontrou na imprensa (rádio e jornal) o apoio para executar suas atribuições, contrariando a orientação da instituição no passado, idos da década de 80, que sempre se colocou refratária a contar com os préstimos da boa imprensa e assim orientava os promotores. E, hoje, ele constata que estava certo, ao verificar que o atual Ministério Público (MP) está dotado de atuante e competente assessoria de imprensa. “Sempre fui entusiasta da imprensa, que foi fundamental para levar informação à população que, não fossem os jornais, ficaria reproduzindo fatos imprecisos e equivocados”, garantiu.

Em sua palestra, o promotor esclareceu que a Lei de Acesso surge para regulamentar o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do artigo 5º, no inciso II do parágrafo terceiro do artigo 37 e do parágrafo segundo do artigo 216 da Constituição Federal. Mas sobretudo do primeiro que diz respeito aos Direitos Fundamentais (art. 5º) e ao Princípio da Transparência (Inciso 33). Ricardo Zouein colocou com veemência que a legislação trata de obrigações do Poder Público, ressaltando que pela Lei todo e qualquer cidadão tem o direito de exigir vista de documentos dos órgãos públicos a exceção dos que forem considerados sigilosos por serem de interesse à segurança da sociedade ou do Estado.

Lei nova

Apesar de recente, o promotor Ricardo Zouein disse que a Lei de Acesso a Informação restaura o conceito de transparência dos órgãos públicos de que toda informação é pública. Segundo ele, o não cumprimento da Lei pode levar à proposição de uma ação civil pública de improbidade administrativa que pode ser proposta pelo Ministério Público, por meio da Promotoria de Tutela Coletiva, bem como por outras instituições, ongs e associações.

Ele ressaltou que a desobediência não deve ser considerada crime. “Ninguém será preso por descumprir”, disse. Mas é improbidade administrativa e acarretará as punições cabíveis como advertência, multa e até rescisão do vínculo com o poder público.

 

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...