Valorizar a água é defender a vida

Edição: 408 Publicado por: Marcelo Ribeiro – estagiário Jornalismo em 04/09/2014 as 09:51

 
Leitura sugerida

Valença – Conforme citado na edição 407 do JL, o prefeito valenciano Álvaro Cabral mostrou na reunião do Conselho de Políticas Agrícolas sua preocupação com o abastecimento de água na cidade. Sua atitude de expor inquietação se dá por problemas que já chegaram a Barra do Piraí e se aproximam de Valença. Ademais, Aparecida Ávila, professora do Colégio Estadual Theodorico Fonseca (CETF) também expôs sua perturbação com o problema.

Durante a Feira de Cultura do CETF, Aparecida apresentou, juntamente com as alunas Joyce Costa e Bruna Esteves, fotos da atual situação de alguns locais da cidade. O principal destaque dado por elas é o atual cenário no qual se encontra a Usina Santa Rosa, localizada no bairro Santa Rosa. Conforme está exposto nas fotos, a situação é preocupante. “Como eu viajo todo final de semana para Três Ilhas, me chamou a atenção no rio preto, que o leito do rio começou a aparecer. Começaram a aparecer as pedras e as pessoas atravessando de um lado para o outro pulando as pedras. Depois alguém me disse que a Usina Santa Rosa estava quase sem água. Quando cheguei lá eu fiquei chocada. O que eu vi? Onde era água tinha só a vegetação e só passa o esgoto do rio Bonito, que passa em João Bonito”, afirmou a professora. De acordo com Bruna, a péssima qualidade da água prejudica todo o ambiente. “Os animais não têm água para beber e bebem essa água poluída. Os peixes ficam doentes e quem pesca come e também acaba ficando doente por comer o peixe que está sujo”, afirmou. Algumas fotos da exposição mostram a espuma formada por produtos químicos que lá são jogados. Aparecida diz que um funcionário do local contou que durante a noite a espuma chega a dez metros de altura. Em contrapartida, a água que ultrapassava a barragem, hoje praticamente não é vista mais.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

3 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

walter do carmo lima em 03/11/2016 às 12:31 disse:

Ha duas fotografias sem identificação, data, hora e local. (parabéns)
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Observador em 06/09/2014 às 11:36 disse:

Fiz um comentário sobre a qualidade da água que Valença utiliza mas a postagem foi retirada....tenho a mesma preocupação que Bruna, porém com a população de Valença. A capitação da água no rio das Flores que abastece Valença está localizada após o rio receber uma grande quantidade de esgoto "in natura" proveniente dos bairros entre o antigo parque de exposições e o bairro de chacrinha. Será que esta água capitada está sendo tratada adequadamente? Nestes meses de seca temos em Valença o aumento do caso de viroses, diarreia, hepatite e dermatites......pobre Valença.
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Observador em 05/09/2014 às 20:19 disse:

É muito triste...mas o absurdo maior é que a capitação no rio das flores (conhecida como Bomba) recebe todo o esgoto "in natura" dos bairros da saída de Valença de Chacrinha ao antigo parque de exposições. Será que a estação de tratamento da CEDAE faz o tratamento adequado desta água batizada com esgoto? Nestes tempos de seca aumentam na cidade os casos de diarreia, hepatite e doenças de pele. Pobre Valença....
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...