Sindicatos estão apreensivos com futuro do Previ

Edição: 529 Publicado por: Paulo Henrique Nobre em 19/01/2017 as 09:37

 
Leitura sugerida

Valença – O prefeito Fernandinho Graça fez anúncios muito alarmantes sobre as precárias condições financeiras em que a gestão anterior deixou a cidade. Entre os problemas herdados, há o “rombo” que o prefeito anterior teria deixado na previdência própria do Município. Os sindicatos que defendem os servidores efetivos da Prefeitura Municipal têm-se mostrado preocupados com as notícias. Para o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), mais do que nunca se torna necessária uma auditoria no Previ.

Danilo Serafim, diretor do Sepe, lembrou que a entidade já vinha denunciando as ingerências nos governos anteriores e que essa bomba-relógio uma hora vai explodir. “Acho que é importante a gente retomar aquele ano de 2012, quando, depois de muita pressão, a Câmara aprovou o parcelamento da Previ por vinte anos. Ali, em 2012, a gente já tinha uma noção da fragilidade do Previ Valença e a possibilidade, daqui há cinco, dez anos, o fato de que os Governos não depositam o desconto do empregador e não repassam para a Previ, o que, do ponto de vista jurídico, isso é apropriação indébita, e mesmo não repassando a parte do empregador, a fragilidade desse modelo desde a sua criação”. O sindicalista afirma que a sensação é que o Previ é uma caixa preta. “A gente está muito carente de informação!”.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...