Prefeitura trabalha para manter Dengue controlada

Edição: 537 Publicado por: Paulo Henrique Nobre em 16/03/2017 as 09:32

 
Leitura sugerida

Valença – A situação da Dengue na cidade está sob controle: é o que afirma o setor responsável da Secretaria Municipal de Saúde. Com aval da secretária, Soraia Graça, as equipes foram para as ruas e, em mutirão, percorreram diversas localidades da cidade, detectando os problemas e combatendo a larva do mosquito Aedes aegypti. Para Soraia, a Prefeitura está fazendo sua parte, mas para a situação continuar controlada, a população deve fazer também a sua parte.

De acordo com Omar Figueira Neto, diretor de Vigilância Ambiental, nos dois últimos meses (janeiro e fevereiro), os dados coletados mostram que a doença está sob controle. “O número de casos notificados em janeiro foram onze, sendo um positivo e dez descartados. E em fevereiro, nós tivemos notificados dezessete casos. Desses, nós tivemos dois positivos, onze descartados e quatro aguardando resultado”. Omar explicou ainda que foi registrado um caso de óbito na cidade nesse período, sendo confirmado que a pessoa estava com a doença, mas ainda não é possível confirmar o motivo da morte. “Ainda está sendo feita a investigação para ver qual é a causa da morte dessa pessoa”.

Omar conta que a atual gestão iniciou, nesses últimos dois meses, várias estratégias – preconizadas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual de Saúde - que a gestão anterior ainda não tinha colocado para funcionar. “Quando entramos, nós já colocamos todos os agentes na rua, em parceria com os Agentes Comunitários de Saúde. E fizemos várias mobilizações, conscientização, PEs (Pontos Estratégicos), estivemos revirando mesmo a cidade para a gente estar evitando uma possível epidemia de Dengue no município”.

Mutirão

O diretor contou que no dia 4 de fevereiro, houve uma grande mobilização no Centro da cidade e, a partir do dia 6, foi realizada uma semana de atividades no Centro, para buscar a conscientização da população quanto aos riscos da Dengue, Zika e Chikungunya. “Nós começamos no dia 17 de fevereiro uma mobilização que começou no bairro Cambota e seguiu para o Santa Rosa II, Canteiro, Varginha, Chacrinha, João Dias, Carambita, Jardim Valença, São José das Palmeiras, Spala I e II, Belo Horizonte, bairro de Fátima, Passagem e, por último, o Centro”.

Segundo Omar, nesse mutirão, foram atingidas 13.562 casas, com os agentes fazendo a verificação dos imóveis e levando orientação aos moradores. De acordo com a secretária de Saúde, é necessário destacar que o mutirão é apenas um reforço no combate já rotineiro, com a visita do dia a dia e que acontece por ciclos, iniciando em janeiro. “No 1º ciclo, nós fizemos. Alcançamos 100% de visitas de todos os imóveis do Município”, apontou Omar. “Foram 27.435 imóveis”, afirmou Soraia. Omar informou que, no mutirão, detectou-se que os bairros que inspiram maior preocupação são o São Francisco, Canteiro, Varginha e o Centro. “São locais em que a gente está com cuidado maior, porque é onde nós temos encontrado inúmeros depósitos com larvas. Nós analisamos essas larvas e elas têm dado positivo para o Aedes aegypti”.

Zika e Chikungunya

Omar destacou que as demais doenças transmitidas pelo mosquito também estão sob controle na cidade. “É o mesmo mosquito. Se a gente combater um, a gente vai estar combatendo as outras doenças”.

Na quinta-feira, dia 2/03, o técnico da Secretaria, Leonardo Magalhães, anunciou que há previsão de uma possível epidemia de Chikungunya no Estado e todos os municípios estão em alerta. De acordo com Soraia Graça, Valença está fazendo sua parte para impedir o avanço da doença aqui. “A única forma de combater a Chikungunya, a Dengue e a Zika é eliminando os focos e criadouros do mosquito!”.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...