Casarão 444 será finalmente demolido

Edição: 571 Publicado por: Paulo Henrique Nobre em 08/11/2017 as 08:51

 
Leitura sugerida

Valença - A preocupante situação da antiga Chácara Barcellos, mais conhecida na cidade como Casarão 444, localizada na avenida Nilo Peçanha, no Centro, foi definida. O prédio será demolido pela Prefeitura. A decisão foi proferida pela juíza Dra. Soraia Pina Bastos. A Câmara de Vereadores repassou a informação de primeira mão e comemorou o resultado, que contou com a intervenção do seu Jurídico e da Prefeitura. A precária situação do imóvel há muito tempo vinha deixando os pedestres que passavam pelo local receosos quanto a um acidente.

Saulo Corrêa, presidente da Câmara, ressaltou que o Legislativo resolveu entrar nessa demanda e acolheu pedido do vereador Pedro Graça, convidando os representantes do Inepac (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural) a falarem sobre a situação deste e outros imóveis históricos. Na época, o Instituto havia declarado ser favorável à demolição daquele prédio, uma vez que quaisquer iniciativas de restauro já haviam se tornado inviáveis. “Eles falaram que o problema estava judicializado. E nós, automaticamente, procuramos o Dr. Márcio Petrillo, procurador do Município, junto com o Dr. Fábio Batista. E entramos nessa celeuma”.

O advogado Fábio Batista, assessor jurídico da Câmara, disse que acompanhou, junto com o procurador Márcio, o Ministério Público e os proprietários do imóvel, na audiência judicial que tinha como objetivo oficial a manutenção do imóvel, mas em virtude do risco de tombamento apresentado por laudo pericial, além da situação irreversível do prédio, o Município e o Ministério Público defenderam sua demolição, que foi acatada pelo magistrado. “Creio que o Município tomará essa iniciativa, por ser uma questão de ordem pública, de risco aos transeuntes”. Fábio ressalta que o patrimônio histórico será desfeito, mas, em contrapartida, será resguardada a vida do cidadão valenciano. Segundo ele, agora é preciso aguardar os desdobramentos, para saber se o local receberá a reconstrução daquele prédio ou será liberado outro tipo de edificação.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

3 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Gilberto em 23/11/2017 às 00:10 disse:

esse casarão pertenceu a minha tia irmã do meu pai , lembro da minha infância indo visita-la , ela morreu acho que foi no inicio dos anos 90 , depois meu falecido irmão ficou com meu primo que era meio doente , quando o meu primo morreu eu fui buscar o meu irmão e trouxe ele para o Rio;; acho também ( não lembro bem) que uma parte da chácara foi vendida para fazer o prédio dos correios .
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Gilberto em 22/11/2017 às 23:45 disse:

Essa chácara era da minha tia irmã do meu pai Jose Fonseca ferreira , lembro da minha infância, indo ai visitá-la...mais ou menos 1969 a 1974. lembro que meu falecido irmão moru ai ate o falecimento da minha tia , se não me engano ela faleceu no começo dos anos 90, ai ele ficou com o meu primo que era meio doente e depois que o meu primo faleceu eu trouxe ela para o Rio .
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Maury Vivas em 14/11/2017 às 19:16 disse:

Até que enfim, prevaleceu o bom senso. Antes tarde do que nunca.
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...