Polêmica no Carnaval

Edição: 585 Publicado por: Redação em 22/02/2018 as 08:45

 
Leitura sugerida

Valença – O Carnaval 2018, repetindo o ano anterior, teve novas cenas de agressão por parte de guardas municipais. Um vídeo está bombando nas redes sociais por conta de visualizações, curtidas e compartilhamentos, além de inúmeros comentários, acerca de situação ocorrida no dia 11/2. No vídeo, retirado de uma câmera de segurança, um homem leva um tapa de um GM e, posteriormente, outras agressões de outros agentes, caindo em seguida na rua Padre Luna. A repercussão foi tanta que levou a Câmara de Vereadores a convocar o comandante da Guarda Municipal para prestar esclarecimentos.

O vídeo, retirado de câmera de segurança de um prédio da rua Padre Luna, tem pouco mais de três minutos e mostra um grupo de guardas municipais reunidos ao lado de viaturas da GM, quando um homem, trajando camisa e bermuda de cor azul, se aproxima de um dos agentes. O rapaz começa a falar alguma coisa enquanto gesticula e é quando recebe um tapa do guarda. Sem equilíbrio em virtude do golpe, o rapaz cambaleia em direção a outro agente, que o empurra e outros dois desferem tapas e chutes contra ele, o que acaba o derrubando. A seguir, o primeiro agressor se aproxima e gesticula para o homem deitado (fora de vista, por estar caído atrás de uma viatura), aparentemente mandando que ele se levante. O vídeo não tem áudio, apenas a conversa de duas pessoas que comentam a cena, sendo que, aparentemente, um dos comentaristas é o segurança do prédio que presenciou o fato.

A seguir, os guardas chutam os pertences do homem em sua direção e retornam para suas posições. O vídeo ainda mostra a vítima se levantar - após ter ficado deitada no chão por um bom tempo - e caminhar em direção ao segurança, aparentemente reclamando da conduta dos GMs. Ainda comentando o vídeo, o segurança conta que, após retornarem às suas posições, os guardas mostravam sarcasmo, rindo do homem agredido. O segurança afirma que, quando o rapaz se aproximou dele, o orientou a ir embora para não sofrer mais agressões. Em vários momentos, o comentarista se posiciona como testemunha do ocorrido e afirma que a agressão dos guardas é descabida, pois a vítima não fez nada que motivasse os agentes a agirem daquele modo.

O Jornal Local tentou, ao longo dos últimos dias, fazer contato com a vítima, mas não teve êxito. Em entrevista a uma rede de TV da região, ele contou que começou a discutir com os guardas após solicitar passagem a pé pelo local e não lhe ser permitido. A vítima conta que, no meio da discussão, um terceiro guarda, com quem não estava falando, o agrediu. Ele alegou à reportagem da TV que está com dores na boca e, por isso, conseguiu licença do trabalho, mas tem medo de perder o emprego por ter que ficar tanto tempo afastado para cuidar da saúde.

Direitos Humanos

O vereador professor Rafael Tavares, representando a Comissão de Diretos Humanos da Câmara Municipal (que também é composta pelos vereadores David Nogueira e Fabiani Vasconcellos), informou que a Comissão vai atuar da forma que a Lei Orgânica permite. “Nós vamos nos colocar à disposição da pessoa agredida, para dar o suporte para ela, para que possa buscar os direitos dela”. Segundo ele, da mesma forma que ocorreu em 2017, a Comissão vai pedir ao Comando da GM a relação dos agentes que estavam de plantão neste dia, se houve denúncia administrativa do agredido junto à Guarda, o que a gestão da GM fará com relação a isso e o que tem a dizer com relação a isso. Rafael informou que a Comissão iria se reunir com o comandante da GM na terça-feira e que participará, no dia 15 de março, da reunião do Conselho Comunitário de Segurança Pública, junto com a população, para ouvir todas as versões.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

2 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

nico em 28/02/2018 às 07:55 disse:

Claro que a GM tem que seguir a Lei, mas antes de atirarem pedras lembre-se que vivemos um caos na segurança pública e que eventuais desvios de alguns GMs não devem inibir a justa reação da corporação frente aos criminosos.
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

limpeza em 22/02/2018 às 10:21 disse:

São uns babacas , covardes
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...