Cidade perde memorialista

Edição: 602 Publicado por: Redação em 20/06/2018 as 08:36

 
Leitura sugerida

Valença – Faleceu na noite de quinta-feira (14), aos 86 anos, o comerciante aposentado Hamilton Borba de Barros. Mais conhecido pelo apelido “Mita”, que carregou por toda a vida, era memória viva da evolução da cidade, que testemunhou a partir de sua dedicada atuação no comércio.

Filho do alfaiate Alcides Henrique de Barros e da costureira “Mariquinha” Borba de Barros, Mita nasceu na cidade natal de seu pai, Três Rios (RJ), mas quando muito criança, seus pais optaram por viver em Valença. Afilhado da professora Luísa de Almeida Kirk Ielpo, dizia ter sido criado por duas mães, a natural e a madrinha. Jovem apto ao trabalho, aproveita oportunidade e ingressa na Ielpo Cia, que além do armazém de secos & molhados, detém o Posto Atlantic, onde mais tarde, por volta de 1970, com a dissolução da sociedade e o fim da Casa Dom Pedro (Ielpo Cia), Mita, tendo como sócio Silvio Myhrra, assume o Posto Atlantic, na rua Silva Jardim 48 (hoje depósito de supermercado), fundando a Silmita Autopeças e a revenda de gás Heliogás.

O caráter divertido e irreverente marcaram época, tornando o escritório aberto da Silmita Autopeças ponto de encontro de intermináveis bate-papos e verdadeiros debates onde frequentaram diversos amigos comerciantes, médicos e fazendeiros. É desta época sua forte amizade com os médicos Armando Queima, Leônidas Nunes e com o produtor rural Roberto de Oliveira Castro. Além destes, a “sala de visitas” era frequentada por Darcy Reis, Tininho Bastos, Betinho Ramos, José Carlos Reis, César Capobianco, Ney Fernandes e Édio Ferreira, dentre tantos outros grandes amigos. Dali partiam para o cafézinho e, vez por outra, uma gozação, uma troça ou um trote com outros amigos como Edgard Tabet e Danilo Gomes, sempre acontecia. Marcou época, ainda, na criação da “Galeria dos Puros”, registro fotográfico dos malucos-beleza de todos os tempos de Valença, expostos próximos a sua mesa de trabalho.

De memória prodigiosa, Mita participou efetivamente dos trabalhos de pesquisa do filho jornalista, como consultor que destrinchava hábitos, costumes e ligações familiares. Durante muito tempo, Mita participou da Associação Comercial de Valença e da Associação Balbina Fonseca.

Com a venda do posto e a aposentadoria já na década de 90, Mita continuou dedicando-se aos amigos no tradicional cafezinho do Bar do Irineu. Foi motociclista e nesta atividade consolidou outras inúmeras amizades, a partir da que manteve com Waltinho Vasconcelos. A amizade com Danilo Gomes é especial e se consolidava cada vez mais nos encontros diários e nos momentos difíceis que ambos vivenciaram com a saúde de suas esposas.

Hamilton Borba de Barros, o “Mita” faleceu após doze dias internado no Hospital-Escola vítima de complicações advindas de deficiências pulmonares e parada cardíaca. Deixou três filhos, dentre os quais o editor do Jornal Local, quatro netos e muitos amigos e admiradores.

Galeria de imagens

3 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

julio cesar em 26/06/2018 às 20:07 disse:

Uma ótima pessoa , boa de coração , humana sou prova disso trabalhei no comercio próximo a casa dele, próximo a esquina , do beco do lambão, vamos sentir muito.
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

nico em 24/06/2018 às 16:04 disse:

Grande figura valenciana! meus sentimento ao Editor.
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...
avatar

Maria Teresa D'Alessio em 21/06/2018 às 12:45 disse:

Sinceros pesames a todos familiares e amigos!
responder O comentário não representa a opinião do jornal! A responsabilidade é do autor da mensagem!
avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...