Como a cidade lida com seus pacientes PSIQUIÁTRICOS?

Edição: 604 Publicado por: Redação em 04/07/2018 as 09:28

 
Leitura sugerida

Valença – Uma situação inusitada ocorreu há duas semanas: um homem nu teve que ser imobilizado por policiais militares em um posto de gasolina da cidade. O caso viralizou nas redes sociais. Tratava-se de paciente psiquiátrico, aparentemente sofrendo surto. Mas essa vítima é apenas mais um caso: há poucos meses, dois outros pacientes vinham sendo alvo de reclamações, por causa de agressões a pessoas. Fica a pergunta: a quem cabe o atendimento, quando sob surto? E a quem cabe recolher e medicar?

A ocorrência em questão, que gerou postagens e muitos comentários, aconteceu no Centro, na terça-feira (19/6). Segundo informações da Polícia Militar, uma guarnição que passava pelo local observou uma pessoa nua, discutindo com outra pessoa – sua mãe -, que também era alvo de agressões por parte dele. Os policiais foram intervir no caso e conseguiram imobilizar o rapaz, que foi apresentado como portador de deficiência mental. A guarnição aguardou o atendimento médico, pelo Samu ou Corpo de Bombeiros. “Não é competência da Polícia a condução [nesse tipo de caso]. Não temos viatura para condução. Nós não temos treinamento”, afirmou o tenente Silva Cruz, comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar. “Chegamos a acionar o Corpo de Bombeiros e o Corpo de Bombeiros falou que não é competência dele também! Pairou essa dúvida: de quem é a competência ou não, Corpo de Bombeiros ou Samu”. Segundo o comandante, quem fez o atendimento foi o Samu.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...