Com fica Lar Meimei depois de Rogério Fort

Edição: 635 Publicado por: Paulo Henrique Nobre em 20/02/2019 as 08:38

 
Leitura sugerida

Valença – No dia 25 de janeiro, o criador e maior benfeitor do Lar Meimei, Rogério Silva Fort, faleceu aos 66 anos de idade. O seu passamento não só gerou surpresa e pesar na cidade, mas também a dolorosa dúvida: o que acontecerá com essa importante instituição que atua na proteção de crianças e adolescentes carentes? O Jornal Local foi até o Lar Meimei e conversou com a atual administração. Segundo eles, o Lar Meimei permanecerá e trabalhará para dar prosseguimento aos projetos de Rogério. Entre eles, o de transformar a instituição em um educandário.

Vinicius Moraes Jenne de Abreu é o atual presidente. Ele conta como está a instituição hoje. “O nosso ideal de trabalho continua”. Ele lembra que o Lar Meimei é um projeto muito amplo e conta com muitos simpatizantes. “Todos estão muito empenhados para que esse trabalho de amor continue!”, disse, ressaltando o apoio que chega de fora, de pessoas que estão se mobilizando para ajudar e trazer melhorias para as crianças atendidas. “A gente fica feliz, porque, cada vez mais, essas coisas estão chegando!”. Segundo ele, a principal atuação da nova gestão tem sido a melhoria dos projetos que já existiam e implementação de outras atividades. Vinicius ressalta o grande vácuo deixado por Rogério, que assumia, por conta própria, diversas atividades da instituição, o que obrigou a nova gestão a procurar entender como funcionavam os processos que faziam o Lar Meimei funcionar e aprimorar aquilo que puder ser aperfeiçoado.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...