Inepac destaca mudanças no Tombamento Definitivo

Edição: 637 Publicado por: Paulo Henrique Nobre em 07/03/2019 as 08:47

 
Leitura sugerida

Valença – Recentemente, o Jornal Local divulgou a resolução do Governo do Estado de aceitar as alterações propostas pela sociedade valenciana e tornar definitivo o Tombamento do Centro Histórico do município. As alterações foram importantes para adequar questões que vinham afligindo o setor do empreendedorismo na cidade, como a altura do gabarito. De acordo com técnicos do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), houve outras mudanças importantes, como o tombamento da Serra do Mascate, criação da zona de ambiência do Morro do Cruzeiro e o tombamento de várias ruas.

De acordo com o historiador Adriano Novaes, técnico do escritório local do Inepac, o tombamento provisório foi feito em 2004 e o definitivo em 21 de dezembro de 2018. Adriano conta que, desde 2008, quando o escritório local do Instituto foi instalado em Valença, uma das propostas era, acompanhados da comunidade e da Prefeitura, realizar uma adequação da área de tutela dos bens tombados à realidade da vida da cidade. “A gente tinha sentido como a cidade se comportou, reagiu, no provisório. Por isso, que tem essa coisa do provisório. Um prazo para o provisório. É para ver como a cidade vai se comportar diante disso”. Adriano conta que as constantes manifestações da comunidade levaram o Inepac a perceber que havia demandas de modificações nos critérios relativos à área de tutela, especialmente, no tocante ao gabarito de altura dos imóveis em torno dos bens tombados. “As modificações aconteceram aí. Ficaram bastante interessantes do ponto de vista para o desenvolvimento da cidade e para a preservação do Centro Histórico de Valença, que é bastante grande. É um conjunto bem expressivo e é um dos maiores do Estado”, conta Adriano, lembrando que são mais de duzentos imóveis tombados.

Gabarito

De acordo com a arquiteta do Inepac, Sonia Rachid, o gabarito de altura foi muito bem avaliado e pesquisado, com sugestões oferecidas pela Associação dos Arquitetos e Engenheiros e equipes técnicas da Prefeitura. “A partir do que era uma altura de 5,50m do gabarito, [...] não dava para fazer dois pavimentos, um sobrado, que é uma característica muito de Valença”. Isso foi alterado para a altura mínima de 8 metros, podendo chegar até 16,15 metros.

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes. Assine já e tenha acesso ao conteúdo na íntegra!

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...